Endividamento empresarial: como administrar e evitar novas dívidas

Evitar o endividamento empresarial e saber administrá-lo quando acontece é tarefa primordial para garantir a saúde financeira do negócio. Apesar disso, infelizmente nem todo empreendedor consegue fazer isso de forma eficaz.

O problema começa quando a empresa não sabe diferenciar exatamente o que são dívidas e o que são despesas. Além disso, se o fluxo de caixa do negócio é bagunçado isso quer dizer que a gestão financeira não está sendo executada como deveria. E falhas na gestão financeira são graves, pois se não corrigidas, com o tempo podem levar até mesmo a declaração de falência da empresa.

O que o empreendedor precisa ter em mente é que apenas com um conhecimento pleno das finanças de seu negócio ele consegue fazer os planejamentos necessários para crescimento. Além disso, essa é a forma mais eficiente de evitar o endividamento, ou de administrar as dívidas que já existem.

É claro que esse processo demanda tempo e atividades rotineiras de controle para ser bem sucedido. No entanto, as recompensas são muito vantajosas e acabam justificando o processo.

A seguir você confere dicas de como controlar melhor as dívidas e também de como evitá-las. Vamos lá!

Administração das dívidas

endividamento empresarial

Vamos começar com três dicas do consultor do Sebrae, Rogério Cardoso para conseguir lidar com o endividamento empresarial já existente.

Registros de entradas e saídas – Endividamento empresarial

A primeira coisa a ser posta em prática tanto para evitar dívidas quanto para administrá-las, é fazer o total controle das entradas e saídas da empresa.

Dessa forma, é indicado que caso não possua um software de gestão financeira, o empreendedor realize esse controle utilizando planilhas ou qualquer outro sistema que lhe permita se organizar.

Nas saídas o gerenciamento deve acontecer anotando tudo o que a empresa tem para pagar de forma fixa e não fixa. Dessa forma, sabe-se de forma mais prática para onde está indo o dinheiro.

Já as entradas, devem ser registradas de forma parecida, anotando tudo o que for pagamento, e também as formas como são feitos.

Com o fluxo de caixa organizado, o empresário consegue visualizar de onde pode retirar dinheiro para quitar as dívidas.

Saber exatamente quanto se deve

É fato que só é possível encontrar soluções de pagamento quando se sabe de verdade o quanto se está devendo. Dessa forma, o empresário precisa organizar todos os seus documentos atrasados e fazer as contas.

Qual o valor total de cada documento? Quais as multas por atrasos? E os juros? De que tipo de dívidas estamos falando?

Todas essas informações organizadas, permitem que o empreendedor consiga visualizar melhor sua situação e realizar a busca por soluções.

Negociação – Endividamento empresarial

A negociação de dívidas é algo que deve ser posto como prioridade para o empreendedor que está sufocado com as contas. Diversas empresas passam esse tipo de cobrança para instituições financeiras. Com isso, fica mais fácil realizar uma negociação de prazos, juros e até mesmo do valor total.

Mas atenção, antes de entrar em contato com quem você está devendo, busque saber exatamente qual a sua capacidade de pagamento. No caso, qual o valor de parcela você consegue pagar e em quanto tempo?

Apenas assim o empreendedor foge do risco de tentar resolver um problema e acaber gerando outro.

Leia também

Evitando o endividamento empresarial

Apesar de saber administrar as crises relacionadas as dívidas da empresa ser importante, o ideal é evitar ao máximo contraí-las.

Isso é ainda mais importante em épocas de grandes crises como a que o mundo está passando nesse momento.

Para isso, é necessário que haja um rígido controle do empresário desde a abertura do negócio.

Dinheiro pessoal e dinheiro da empresa

Nós já falamos desse problema clássico no artigo sobre os erros mais comuns de empresas.

Ter um controle correto do que é dinheiro da empresa e o que é dinheiro do empresário é muito importante para a saúde financeira do negócio.

Dessa forma, cumprir com o pagamento correto dos sócios, e no entanto, não retirar dinheiro a mais do caixa da empresa é uma boa forma de evitar déficits financeiros que possam agravar um período de crise e obrigar o negócio a contrair dívidas.

Evitar a solicitação de empréstimos – Endividamento empresarial

Solicitar empréstimos para instituições financeiras ou terceiros deve ser evitado ao máximo. Isso porque esse tipo de solicitação acaba incorrendo em altas taxas de juros e multas por atrasos.

Dessa forma, solicitação de empréstimo, especialmente para bancos, somente em último caso e como muito planejamento de quitação.

Em caso de necessidade de dinheiro, o melhor a fazer é buscar formas de aumentar a receita da empresa.

Controle de estoque evita gastos desnecessários

Adquirir produtos em muito mais quantidade que o necessário é uma falta grave que pode acarretar problemas com dívidas no futuro.

Isso acontece pois produtos parados no estoque geram demora de vendas, consequentemente, gerando uma demora tamém em recuperar o valor de investimento.

Além disso, produtos em grande quantidade com dificuldade de saída, são sinônimos de prejuízo. Afinal de contas, para conseguir que sejam vendidos é necessário fazer promoções e muitas vezes ofertá-los por valores bem abaixo do que o original.

Software de gestão financeira – Endividamento empresarial

Os sofwares de gestão financeira podem até ter valores um tanto altos, mas pela eficiência, acabam valendo demais o investimento.

Com um programa como esse, todo o controle das finanças é simplificado e o tempo também é bastante menor. É mais fácil de se conseguir informações, realizar o controle de fluxo de caixa entre outras coisas.

Veja também: Autoconhecimento nas empresas: porque desenvolver essa área

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário