Frustração profissional: porque você odeia seu trabalho e como resolver

Infelizmente, todos nós estamos sujeitos a passarmos por fases ruins em nossas carreiras profissionais. Mas muitas pessoas se encontram em situações de frustração profissional que as fazem repensar as suas escolhas.

Às vezes você pode estar em um momento em que não suporta mais o seu trabalho, mas não sabe o porquê, e tampouco o que fazer nessa situação. Por isso, reunimos algumas dicas para tentar te ajudar a entender os motivos para estar assim e resolver este problema.

Aliás, aproveite para ver também sinais de que você está trabalhando mais do que deveria.

Frustração profissional

Razões para frustração profissional

Uma das primeiras coisas que você deve fazer quando estiver se sentido frustrado com seu trabalho é entender se o problema é o seu emprego ou a sua profissão. Afinal, pode ser que você esteja em um ambiente ou emprego ruim, mas ache que o problema é a carreira escolhida.

Por isso, tente identificar quais são as coisas que mais te incomodam. Quando você entender quais são as questões que mais te afligem, é provável que consiga separar o que é problema do ambiente e o que é problema da profissão.

E já que na maioria das vezes o problema é com a empresa, vamos tentar te ajudar com a identificação do problema. Conheça a seguir alguns possíveis motivos para que você não suporte mais o seu trabalho, e o que dá para fazer em cada situação.

Mas atenção: para todos os tópicos mencionados, tem uma dica que é universal -planeje bem o que vai fazer. Sabemos que frustração profissional é algo delicado, e quando você não suporta mais o seu trabalho não dá para ficar empurrando com a barriga, mas evite tomar decisões precipitadas e tenha ao menos um plano em mente caso decidir largar o seu trabalho.

E se você acha que o problema realmente é a carreira escolhida, então veja como mudar de profissão sem precisar de uma nova graduação.

Você não se entende com seus colegas de trabalho

Se o seu problema são as pessoas, então não dá para culpar a profissão. Talvez você fique com a impressão de que todos os profissionais da categoria vão ser deste jeito (qualquer que seja ele), mas evite cair nessa armadilha de pensamento.

Mesmo que trabalhem na mesma área, as pessoas são diferentes umas das outras. Então se o ambiente da sua empresa não é agradável, não quer dizer que em todas as outras será assim também.

Além disso, você sabe exatamente o que te incomoda na equipe da qual você faz parte? Pode ser que com algumas conversas você consiga tornar o ambiente ao menos tolerável, e não precise sair da empresa por causa disso.

Ou até mesmo trocar de sala, de setor, de filial? Talvez com novos ares você consiga se readaptar à sua empresa e dar uma nova chance ao seu emprego.

Você não se adapta à cultura da empresa

Já que falamos de problemas com a equipe, pode ser que a cultura da empresa influencie comportamentos que te desagradam.

Às vezes a empresa estimula a competitividade de forma tão intensa, por exemplo, que as pessoas acabam prejudicando umas às outras. Na busca por crescimento, esquecem que estão lidando com seres humanos e criam um ambiente tóxico.

Se você até tentou se encaixar, mas os valores da empresa não batem com os seus, realmente é difícil mudar este jogo. Mas isso não quer dizer que não vale a pena tentar, pois pode ser que a oportunidade valha a pena para a sua carreira.

Por isso, se for caso, passe o problema para frente, conversando com o RH ou com a chefia. Se conseguir apresentar o problema de forma convincente e mostrar que isso é prejudicial para todos, pode conseguir algumas mudanças que no fim das contas ajuda a todos.

Por outro lado, se a questão com a qual você não se adapta for algo estrutural, como o padrão de vestimenta ou regras rígidas que não combinam com o seu perfil, aí é mais complicado conseguir alguma mudança. Nesses casos, se você não se adaptar, o melhor é seguir em frente para não perder tempo com algo que simplesmente não tem futuro.

Mas assim como no tópico anterior, esse não é necessariamente um problema de carreira. Afinal, empresas têm culturas diferentes, e muitas delas são bem maleáveis.

O ambiente da empresa é tóxico

Algumas coisas são básicas para qualquer profissional, como direito a folgas e intervalos decentes para alimentação.

Entretanto, infelizmente muitas empresas não respeitam nem isso, e forçam seus funcionários a trabalharem fora do horário ou almoçarem em 15 minutos. Isso não é normal e muito menos aceitável, não se sinta mal caso isso te incomode.

Se, por exemplo, a sua empresa exige horas extras mesmo quando funcionários estão exaustos ou tem outros compromisso, repreende aqueles que adoecem ou vão ao banheiro em horário de trabalho, permite tratamentos abusivos contra colaboradores, saiba que quanto mais tempo você passar nesse lugar, pior para a sua saúde mental.

Aliás, lembre-se que direitos trabalhistas são garantidos por leis, e em alguns casos cabe até acionar a justiça.

Seu chefe é ruim

Quem nunca teve problemas com chefes, não é mesmo? Às vezes o problema é só uma irritação natural que todo mundo tem com o próprio patrão. Outras, no entanto, é porque ele é um péssimo profissional, mesmo.

E há diferentes maneiras de ser “ruim”. Pode ser uma pessoa tóxica ou desagradável, conforme vimos nos tópicos acima, ou se tratar da boa e velha incompetência. Até porque é muito comum o caso de empresas que priorizam a própria família, por exemplo, e dão cargo de chefia para alguém sem experiência na área.

Mas se o problema for o chefe, a questão fica um pouco delicada. Primeiro porque é complicado largar um trabalho por direcionar sua frustração profissional para apenas uma pessoa. E segundo porque você precisa medir bem o que pode fazer sobre isso, afinal, se ele é o chefe então com quem reclamar?

Em um primeiro momento, é interessante medir a temperatura com seus colegas e saber se o problema é só com você. Depois, apesar de a dica parecer batida, pode valer a pena tentar conversar com ele para buscar algum consenso e melhor a situação.

Se o problema for temperamento, por exemplo, pode ser que a equipe unida consiga alguma mudança. E se for profissional, talvez todos consigam com que a equipe seja mais ouvida e o trabalho seja feito de maneira mais colaborativa.

Você ganha menos do que deveria e não tem espaço para crescer

Infelizmente, isso também é comum. Às vezes você está fazendo um ótimo trabalho, é estimulado a fazer mais e aceita de bom grado, mas na hora do reconhecimento ganha no máximo um “parabéns”.

Se você acha que está ganhando menos do merece, a primeira coisa a se fazer é pedir um aumento. Reúna coragem, levante a cabeça, marque uma conversa com a chefia e argumente sobre o seu ponto de vista.

Agora, se você está há tempos fazendo um bom trabalho e percebe que não esse tipo de comportamento não é valorizado, fique atento. Observe se há casos de pessoas que cresceram na empresa, e quem são essas pessoas. Já comentamos sobre empresas que priorizam suas famílias, e nessas as chances de subir na hierarquia são mínimas.

Nesses casos, você pode até conseguir aumentos, mas é possível que fique estagnado e raramente tenha suas ideias valorizadas, de modo que a frustração profissional se torna inevitável.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário