Ifood Básico e Entrega – Diferenças e como escolher a melhor opção

O iFood se tornou uma das plataformas mais utilizadas por comerciantes de alimentos do Brasil. Com os planos iFood Básico e iFood Entrega, o aplicativo permite que cada negociante adapte a ferramenta conforme sua necessidade. Mas qual dos dois modelos é o melhor para o seu negócio?

A escolha por cada um dos modelos depende de vários fatores que decidirão o que é mais vantajoso. Portanto, antes de decidir é importante que o negociante conheça muito bem seu empreendimento e seus potenciais clientes.

Veja a seguir tudo o que você precisa saber sobre os planos básico e entrega do iFood, e como avaliar em qual dos dois você deve investir.

Plano iFood Básico

Publicidade

O plano iFood Básico é para aquele negociante que busca apenas maior exposição para os seus potenciais clientes além de uma ferramenta a mais para efetuar suas vendas online.



Com esse plano, o usuário utiliza o aplicativo para divulgar seu cardápio e receber pedidos. Dessa forma, nesse plano, toda a parte de entrega fica por conta do anunciante.

No Básico, o anunciante paga 12% de comissão por cada pedido recebido por meio da plataforma. Além disso, nos pedidos onde o pagamento também é feito no aplicativo, é cobrado mais uma taxa de 3,5% referente a transação. Essa taxa não é muito diferente da que o comerciante teria se o pagamento fosse feito em uma máquina de cartão comum.

Para além das taxas, o aplicativo também cobra um valor fixo de R$ 100,00 mensais sempre que as vendas daquele período ultrapassam os R$ 1.800,00. Sendo assim, nos meses em que as vendas pela plataforma não chegam a esse montante, a mensalidade não é cobrada.

Publicidade


Publicidade


Plano iFood Entrega

O iFood Entrega é indicado para aqueles negócios que não desejam ter preocupações com entregadores próprios, apesar de a contratação também depender (e muito) da questão financeira do estabelecimento (mas disso trataremos mais adiante).

Com esse plano, o negociante fica responsável apenas pelo preparo e despacho do pedido pelo entregador da plataforma.

Publicidade

Apesar da falta de preocupação, as taxas a serem repassadas para o aplicativo são (obviamente) maiores do que a do plano Básico.

Publicidade

A comissão sobre pedidos recebidos pelo aplicativo do modelo Entrega é de 23%. E, assim como no Básico, nos casos de pagamentos realizados pela plataforma, há a cobrança de taxa de 3,5%.

As regras para o pagamento da mensalidade seguem as mesmas nesse modelo, tirando um acréscimo no valor. No caso, aqui a mensalidade a ser paga caso as vendas mensais atinjam R$ 1.800,00 é de R$ 130,00.

Apesar de ser uma opção, o iFood Entrega ainda não está disponível em todas as cidades onde o aplicativo opera. Por isso, antes de fechar contrato, a empresa pede para que o empreendedor entre em contato e consulte se o modelo está disponível na sua região.

Como avaliar cada plano?

Antes de tentarmos te ajudar a escolher entre o iFood Básico ou iFood Entrega, é importante saber que o negociante pode cancelar qualquer um dos planos, ou migrar de um para a outro, a qualquer momento.

Dito isso, vamos ao que interessa: como decidir qual dos planos é melhor para você?

Bom, como dissemos lá no início do texto, a primeira coisa que o empreendedor precisa é conhecer bem o seu negócio. Dessa forma, ele pode ter uma noção melhor em relação aos seus clientes, uma ideia de quantos pedidos pode ter por dia e uma média do seu faturamento.

A partir daí, fica mais fácil ter uma noção de qual dos dois planos é mais vantajoso para o negócio.

Com essas noções em mente, é hora de fazer as contas.

Publicidade

O comerciante precisa calcular o quanto iria gastar se ele fosse o responsável por cada entrega.

No caso, aí entra o cálculo de quanto seria gasto com um entregador próprio, quantos seriam necessários, com que frequência as entregas seriam feitas, entre outras coisas relacionadas a isso.

Publicidade

Após chegar a uma média financeira em relação a isso, é hora de fazer cálculos parecidos relacionados ao aplicativo. No caso, somando a média de pedidos recebidos pelo iFood, qual seria o seu gasto para utilizar os entregadores da plataforma?

Lembre-se que, em suma, a porcentagem apenas para o serviço de entregas gira em torno de 11% (23% menos 12% cobrados pelo serviços do app). E, claro, além da porcentagem, não deixe de somar a mensalidade que deve ser paga caso o seu negócio ultrapasse os R$ 1.800,00 em vendas.

Com todas essas contas feitas você já consegue ter a resposta de qual o melhor plano para o seu negócio.

ifood básico e entrega

Recomendação geral para iFood Básico ou iFood Entrega

Apesar de cada negócio ser único, o que alguns especialistas garantem é que  a contratação do iFood Entregas é mais recomendada para estabelecimentos de grande porte e com uma demanda alta de entregas diárias.

Isso porque, quando somadas as taxas, a margem de lucro do negociante, em casos de menos pedidos, é pequena demais.

O mesmo problema se apresenta quando os produtos vendidos são muito baratos.

É claro que o vendedor acaba por repassar a taxa de comissão para o consumidor, aumentando um pouco o valor final do produto. No entanto, ainda assim é necessário fazer uma avaliação dessa precificação dos produtos. Isso porque, a depender do valor, pode ser que a mercadoria acabe encarecendo demais.

Publicidade

Apesar dessa recomendação, o ideal mesmo é calcular tudo certinho e fazer as comparações personalizadas para o seu negócio.

Veja também: Como vender no Rappi? Requisitos e passo a passo para restaurantes

Publicidade

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário