Empréstimo para autônomo: Modalidades e como funciona

O empréstimo bancário representa uma oportunidade para que diversos planos sejam colocados em prática. O profissional autônomo também pode solicitar empréstimo e em alguns caso conta até mesmo com algumas linhas de crédito especiais.

Existem no mercado diversas modalidades de empréstimo de crédito bancário para pessoas físicas e jurídicas. As opções disponíveis para o autônomo dependem se ele trabalha de maneira formal (com CNPJ) ou informal.

De qualquer forma, seja qual for o modelo em que o profissional se encaixe, será necessário cumprir com algumas exigências das instituições financeiras. O processo pode ser um pouco mais burocrático para o autônomo que não possui registro formal, porém, isso não quer dizer que esse profissional não terá seu empréstimo liberado.

Veja a seguir quais as principais modalidades de empréstimos para autônomos, além de outras informações sobre essa liberação de crédito.

Veja também

Modalidades de empréstimo para o profissional autônomo

empréstimo para autônomo

A modalidade de empréstimo que deve ser adotada pelo autônomo, além de depender do seu modo de trabalho (formal ou informal), também dependerá da finalidade do dinheiro emprestado.

Por exemplo, caso o empréstimo seja com o objetivo de trabalho, o empreendedor terá acesso a um tipo de crédito. Agora, se o dinheiro tiver finalidade pessoal, os acessos são de outro tipo.

É bom saber que, apesar da preferência e das vantagens, não são todas as instituições financeiras que exigem que o autônomo possua CNPJ para conseguir empréstimo.

O crescimento dessa modalidade de trabalho nos últimos anos fez com que os bancos e financeiras flexibilizassem seus processos. Mas claro que cada instituição opera conforme suas regras; sendo assim, o ideal é buscar por uma que consiga atender melhor as suas necessidades.

Conheça as modalidades mais comuns para solicitar o seu empréstimo.

Microcrédito para empresa

A modalidade de microcrédito foi criada especificamente para atender empréstimos empresariais. Sendo assim, o dinheiro tem como finalidade específica o investimento no negócio.

O empreendedor pode investir o aporte em reformas e locação de estabelecimento comercial, pagamento de dívidas, compra de equipamentos, entre outros fatores que dizem respeito a empresa.

Uma das maiores vantagens do microcrédito é que esse tipo de empréstimo para autônomo costuma ter taxas de juros menores do que outras modalidades.

Empréstimo com garantia (Penhor)

Essa é uma das modalidades mais utilizadas para o pedido de empréstimo de um autônomo, isso porque ela não exige comprovação de renda, ponto que pode ser um problema para alguns profissionais.

No empréstimo com garantia, o solicitante deixa algum bem de valor como garantia do pagamento de seu crédito. O mais comum é que se disponibilize um imóvel ou veículo, porém isso depende muito do valor a ser emprestado.

Esse tipo de empréstimo costuma ter taxas de juros que giram em torno de 2%, dependendo do prazo estipulado para pagamento.

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é aquele que o indivíduo pode solicitar para qualquer finalidade. A maior vantagem é que, para ser aceito, ele não conta com tanta burocracia, especialmente os solicitados por plataformas digitais, como é o caso do Nubank ou do Serasa eCred.

Apesar disso, esse é o tipo de empréstimo que na maioria das vezes a instituição financeira faz análise de crédito, além de exigir comprovação de renda.

Outro ponto negativo é que justamente a facilidade para conseguir esse empréstimo faz com que suas taxas de juros sejam bastante altas.

Autônomo negativado consegue ter empréstimo aprovado?

Apesar de mais difícil, o autônomo negativado pode sim conseguir empréstimo. Contudo, nessa situação, é bom estar preparado para arcar com taxas de juros muito mais altas que o normal.

A questão do aumento da taxa para esse público é porque quem tem dívidas em atraso tem menor pontuação de Score. Sendo assim, o risco para a instituição financeira é muito maior que se emprestasse dinheiro para alguém que não está com o nome sujo.

Por isso mesmo é importante pensar bem se realmente fazer um empréstimo é a melhor opção. Isso porque, em alguns casos, as taxas de juros podem chegar a 20% ao mês, o que pode tornar a alternativa mais negativa que positiva, visto a possibilidade do endividamento com a financeira se tornar uma bola de neve.

E lembrando que, mesmo que a possibilidade exista, não serão todos os bancos ou financeiras que aceitarão uma proposta. Portanto, é preciso procurar e só fechar negócio com instituições que você tenha certeza que são confiáveis. Há muitos golpistas por aí, prontos para fisgar um desesperado por crédito.

Comprovação de renda e outros fatores que podem ajudar a liberar seu crédito

Como você observou, em algumas modalidades de empréstimo, é exigido que o profissional autônomo comprove a sua renda. Nem sempre isso é fácil, visto que muitos trabalhadores operam informalmente.

Contudo, mesmo com pouca documentação, é possível conseguir realizar uma comprovação de renda satisfatória. Para isso o empreendedor pode utilizar seu imposto de renda, extratos bancários entre outros documentos.

Além da comprovação, outros fatores também podem ser avaliados pelas instituições e quanto mais resultados positivos, maiores as chances de ter seu crédito liberado.

Você pode conferir tudo sobre comprovação de renda para autônomos e outras dicas para aprovação de crédito no nosso artigo sobre financiamento para autônomo. Boa leitura!

Veja também: Cartão Zippi: o cartão criado para o profissional autônomo

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário