Desenvolve SP anuncia linha de crédito de 100 milhões

Na última quarta-feira (3 de fevereiro) o banco do Governo de São Paulo, Desenvolve SP, anunciou que irá lançar uma linha de crédito especial para micro e pequenas empresas.

Segundo o anúncio, serão disponibilizados R$100 milhões para empresas com faturamento de até R$4,8 milhões no montante anual. O crédito tem objetivo de reduzir as consequências negativas sobre as empresas por conta da crise financeira do ano passado.

A linha de crédito poderá ser solicitada por empresários que precisaram diminuir ou parar completamente suas atividades durante o período de reclusão social. Esses empreendedores poderão utilizar o empréstimo para capital de giro da empresa.

desenvolve sp

O Desenvolve SP divulgou que as taxas sobre os empréstimos serão de 0,8% ao mês mais selic inclusa. O empreendedor poderá contar com um prazo de carência de até 12 meses, e a quitação poderá ser realizada em até 60 vezes.

Para a solicitação do crédito, o empresário precisará apresentar seu faturamento anual ao banco. Ele poderá escolher entre o do ano de 2019 ou de 2020, a depender do que for melhor para o negócio.

Como em avaliações de empréstimos são pedidas garantias ao solicitante, e para evitar que o empreendedor precise de um avalista, o banco oferece as opções de FGI e também de FDA.

FGI é o Fundo Garantidor de Investimentos, que pode ser solicitado junto ao BNDES. Nesse formato, o Banco Nacional divide os riscos com o Desenvolve SP em casos de calote.

Já o FDA, é o Fundo de Aval de São Paulo, que garante os riscos do crédito fornecido, por meio dos recursos do Tesouro Estadual.

Ambos podem ser solicitados no momento de solicitação da linha de crédito, que acontecem de forma online pelo site do Desenvolve SP.

Bares e Restaurantes podem ter linha de crédito pelo Pronampe

Em 2020 foi criado o Pronampe com o objetivo de atender as necessidades dos pequenos empreendedores que vinham sendo mais afetados pelo isolamento social por conta da pandemia de coronavírus.

Ao todo foram liberados mais de R$37 bilhões, divididos em três fases para que instituições financeiras públicas e privadas atendessem a alta demanda de solicitantes.

Segundo balanço, foram atendidas por volta de 517 mil empresas.

Em 2021, estuda-se a possibilidade de realizar liberações de crédito pelo Pronampe para setores específicos, entre eles os bares e restaurantes. Esse setor se mostra uma das maiores preocupações, por ter sido um dos mais afetados durante a pandemia.

Apesar do estudo, parte da equipe econômica do Governo Federal tem ressalvas com relação a esse tipo de liberação.

Para Carlos Melles, presidente do Sebrae, a proposta deveria ser avaliada seriamente pelo Governo Federal, visto que o setor de bares e restaurantes tem sofrido frequentes perdas por conta das decisões de abertura e fechamentos.

Melles também afirma que o que vem segurado esses negócios é a ascensão do delivery. No entanto, apenas isso não é suficiente para evitar mais perdas e até mesmo falências das empresas.

Leia também

Como conseguir empréstimo para MEI? Alternativas para microempresas

Como abrir um MEI do jeito fácil: GUIA COMPLETO do microempreendedor individual

Equipe econômica do Governo Federal tem foco na extensão de prazos

Segundo o assessor do ministro da economia, Guilherme Afif Domingos, a equipe não tem pretensões de criar essas medidas para setores separados. A ideia é continuar com o programa abrangendo todas as empresas de forma igualitária.

O assessor também afirmou que o foco agora é estender os prazos de carência dos empreendedores que adquiriram crédito.

“Num momento em que está havendo um repique do fechamento do comércio, por que não retardar o pagamento? É justo pleitear para todas as micro e pequenas empresas”, afirmou Afif.

Atualmente, o prazo para iniciar os pagamentos dos créditos do Pronampe são de 8 meses. No entanto, o governo lida com pedidos de empresários para que essa carência seja estendida um pouco mais, além de permissão para que contratos de trabalho voltem a ser suspensos e para que as empresas possam reduzir salários e jornadas de trabalho dos colaboradores.

Veja também: Programas de crédito emergencial podem se tornar definitivos em 2021

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário