Getnet premiará projeto de empreendedorismo com R$50 mil

A Getnet em parceria com o Sebrae irá premiar com R$50 mil as melhores ideias de novos negócios ou soluções para pequenas empresas por meio do desafio Hackathon Empreenda Getnet. O prêmio será dividido entre o primeiro lugar, que receberá R$30 mil e o segundo lugar do desafio, que receberá R$20 mil.

As inscrições abriram na última segunda-feira (21) e o concurso será totalmente online de 8 a 11 de outubro.

A iniciativa tem como foco principal mobilizar jovens universitários e empreendedores que têm boas ideias para ajudar os micro e pequenos empreendedores a passarem da melhor forma pela crise imposta pelo Corana Vírus.

hackathon-getnet

O desafio consistirá em criar soluções para que vendas a distância possam ser realizadas ou para que produtos já existentes possam ser adaptados, aumentando a receita dos empreendedores afetados pela pandemia.

O desafio Hackathon não é exatamente uma novidade para a Getnet, na verdade essa é a 5ª edição do concurso realizada pela empresa. Ele faz parte das ações do Mês da Inovação, promovido pelo Sebrae, que objetiva democratizar a inovação no Brasil.

A expectativa é que pelo menos mil participantes se inscrevam e que 200 grupos sejam criados. Os vencedores recebem, além dos R$50 mil, a oportunidade de se apresentar no Case Startup Summit, maior evento de startups da América Latina.

Além dos dois grandes incentivos, a Getnet ainda destaca que ao participar do Hackathon, os competidores acabam sendo expostos em uma grande vitrine para empresas e outros profissionais, podendo essa ser uma chance de criar network além de conseguir  oportunidades de trabalho.

Os interessados em participar do desafio  devem acessar o site do desafio e realizar a inscrição logo após ler o regulamento.

Empresa de maquininhas também fez parceria com a Embelleze para auxiliar empreendedores durante a pandemia

O Hackathon é só mais uma das ações realizadas pela Getnet na missão de ajudar os pequenos empreendedores a passarem sem tantos danos pela pandemia de covid-19.

Em julho a empresa anunciou uma parceria com a Embelleze para auxiliar na criação de e-commerces para os negócios de beleza e alimentação que tiveram que fechar durante o isolamento.

O projeto teve o objetivo de atingir 2000 mil empresas que poderiam continuar vendendo suas mercadorias por meio digital. Os participantes teriam direito a uma loja virtual criada em até 5 dias pela Getnet, onde poderiam expor seus produtos além de gerenciar todos os pagamentos e demais operações de vendas.

Sabendo da inexperiência de muitos empreendedores com plataformas digitais, a empresa ainda ofereceu um treinamento. Os mini cursos aconteceram em forma de tutoriais para que o negociante pudesse gerir o seu negócio online com mais autonomia.

Os e-commerces criados pela Getnet contaram com ferramentas completas, assim como grandes plataformas de marketplace. Entre elas os negociantes poderiam ter acesso a um e-mail personalizado da empresa, relatório de vendas, cálculo de frete e um sistema antifraude.

Para Pedro Coutinho, CEO da Getnet, os estabelecimentos que não conseguem se adaptar ao meio digital, em pouco tempo sofrerão grandes prejuízos. Isso porque, segundo ele, esse novo hábito dos consumidores, de efetuar suas compras online, não é passageiro. Ele acredita que essa tendência deve permanecer mesmo após a pandemia. Com isso, os empreendedores que saírem na frente e já forem adaptando seus negócios desde já, terão grandes vantagens agora e no futuro.

Além da Getnet o SEBRAE também tem buscado parcerias com outras empresas para facilitar a vida dos micro e pequenos empresários de todo o Brasil. Recentemente a organização anunciou uma parceria com o Magazine Luiza para ajudar esses negociantes a expandirem seus negócios.

Getnet

A Getnet é uma das empresas do grupo Santander com foco voltado para tecnologia e facilitação de pagamentos. A rede é mais conhecida por conta de suas maquininhas de cartão de crédito e débito que podem ser encontradas na maior parte dos estabelecimentos do país.

Veja também:

Para a maioria dos lojistas, Semana do Brasil não aumentou as vendas

Novos nichos de mercado surgem por conta da pandemia

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário