Para o Dia das Crianças de 2020 consumidores pretendem gastar até R$200

O Dia das Crianças acontece daqui a menos de duas semanas e a procura por presentes já começou segundo pesquisa realizada pela Social Miner. Dos consumidores entrevistados, 62% disse que pretende comemorar a data e 40% irá presentear seus entes queridos.

A data anualmente é uma das mais lucrativas para o comércio varejista, tendo faturado em 2019 um percentual de 3,1% a mais do que em 2018. Por conta do sucesso do ano passado, muitos comerciantes estão nutrindo as esperanças de recuperar um pouco das perdas sofridas durante a crise de 2020, nesse período.

Dentre esses empresários os mais ansiosos são os donos de lojas que trabalham com brinquedos, já que todos os anos o período de compras de outubro representa pelo menos 35% das vendas do ano inteiro.

dia das crianças

A pesquisa da Social Miner revelou, no entanto, que as expectativas de vendas até o Dia das Crianças são animadoras. Isso porque, mesmo com a crise, 51% dos consumidores afirmou que pretende gastar entre R$50 e R$200 em presentes para os pequenos da família.

Em relação às formas de pagamento, apenas 38% afirmou que efetuará pagamento a vista no dinheiro. A maioria pretende pagar suas compras com cartão sendo 22% no crédito parcelado e 40% no cartão de débito.

Entre os presenteados, os destaques vão para filhos, sobrinhos e os próprios consumidores que pretendem aproveitar as promoções da época para presentearem a si mesmos.

O levantamento também apontou que mesmo entre os que alegaram que não irão adquirir nenhuma mercadoria a indecisão ainda é grande. Isso porque 62% afirmaram que no caso de encontrarem preços atrativos podem mudar de ideia.

Inovação é aposta para conquistar clientes em 2021

Outra evidência revelada pela pesquisa da Social Miner foi em relação ao formato de compras.

Ao que parece, durante a data comemorativa a tendência de comprar em lojas online deve permanecer assim como aconteceu durante todo o ano. Entre os entrevistados, 42% alegou que prefere efetuar suas compras por meio eletrônico enquanto 22% fará buscas por presentes tanto em lojas físicas quanto em lojas online.

As compras por meio de lojas virtuais já eram uma tendência em ascensão e com a pandemia, esse processo de migração foi acelerado. Muitas notícias no decorrer dos meses tem dado vazão ao sucesso dos comércios eletrônicos em 2020, entre elas essa que alega que o e-commerce cresceu em 6 meses o mesmo que em 6 anos em na cidade de São Paulo. Esse crescimento só prova que os negócios que querem se manter em atividade, não tem mais como fugir das evoluções digitais.

No período de compras para o Dia das Crianças, os desafios para os comerciantes serão ainda maiores visto que quem não migrou suas vendas para os meio online terá mais dificuldades para efetuar vendas.

No entanto, mesmo para quem já tinha ou criou um comércio eletrônico esse ano a batalha por clientes será extremamente acirrada. O crescimento do número de e-commerces fez com que a concorrência desse período fosse ainda maior. Para o pequeno comerciante então, todo e qualquer diferencial deve ser usado para conseguir competir com as grandes marcas.

Promoções, preços baixos e valores de frete farão toda a diferença com os consumidores. Além disso, as marcas deverão caprichar mais em suas estratégias de marketing e vendas para ganhar a atenção das pessoas nos meios online.

Comércio dia das crianças

VEJA TAMBÉM: ideias do que dar de presente de Natal! 🎁

Brinquedos são os artigos mais vendidos

A Social Miner também conseguiu levantar quais as categorias de artigos devem ser as mais procuradas durante o período de compras para o Dia das Crianças. Sem nenhuma surpresa, o setor dos brinquedos é de longe o campeão de procura.

As bonecas e os jogos para vídeo-game são os campeões de busca com 30 e 23% das intenções de compra. Eles são seguidos de perto pelos jogos de tabuleiro (22%) aviões e carrinhos de brinquedo (18%).

Além dos brinquedos, muitos entrevistados disseram que pretendem comprar roupas para dar de presente (35%), Livros (22%) e Calçados (20%).

Outras categorias como bicicletas, celulares e outros produtos eletrônicos também foram bastante citados pelos entrevistados.

Veja também

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário