Marketing e organização financeira: Segredos da revenda!

Ao se tornar um revendedor ou revendedora, você fará muita coisa por conta própria, desde entrar em contato com a marca, selecionar os produtos necessários, distribuir por entre os clientes e também lidar com o dinheiro.

Esse é um dos principais segredos para que a revenda se torne um sucesso, afinal, de nada adianta investir tanto tempo e dinheiro se não haverá lucro no final do mês, não é mesmo?

Todo pedido precisa ser anotado e, no final de cada mês, você mesmo precisará consultar as anotações para saber quanto lucrou e quanto gastou. Uma planilha, tabela ou caderninho provavelmente vai te ajudar nessa tarefa.

Como calcular a margem de lucros?

Como calcular a margem de lucros?

O cálculo da margem de lucro não é difícil, basta que você primeiro calcule a diferença entre o faturamento que foi obtido com as vendas do produto ou serviço e os custos de execução de toda a cadeia de produção.

Como calcular o lucro de um produto

Para calcular o lucro de um produto basta diminuir o preço que foi vendido pelo valor do investimento. A fórmula, portanto, é a seguinte:

Lucro bruto = receitas totais – custos dos produtos obtidos

Exemplo: preço da venda (R$ 100,00) – investimento (R$ 50,00 do produto + R$ 20,00 deslocamento) = R$ 30,00 de lucro. Para transformar os lucros em porcentagens basta fazer a regra de 3.

Nesse caso, resulta em 30% de lucro.

Veja aqui como funciona a revenda de produtos e fique por dentro!

Cálculo do lucro mensal (receita): para conferir o lucro mensal é preferível que use uma planilha do Excel ou uma tabela num caderno. O princípio é o mesmo: somar todo o valor recebido com a venda de produtos e diminuir pelo investimento feito.

Exemplo

  • Receita total: R$ 80,00
  • Custos: R$ 50,00
  • Lucro: R$ 80,00 – R$ 50,00 = R$ 30,00
  • Margem de lucro: R$ 30,00 / R$ 80,00 = 0,375 x 100 = 37,5%
  • A margem bruta desse exemplo é de 37,5%.

Lembre-se que, para calcular o lucro, é preciso levar em consideração os gastos fixos e variáveis.

Os fixos, são aqueles previamente tabelado como o valor das peças.

Já os variáveis, são os que mudam conforme cada venda. Por exemplo, um deles você precisou arcar com o preço do frete que fez de graça para o cliente, sendo que outro, foi vendido para um amigo, sem precisar gastar em deslocamento.

A margem de lucro (a porcentagem) é a forma mais fácil de identificar a sobra do preço cobrado. Sabendo o quanto você gasta para vender os produtos fica mais fácil de pensar em promoções ou estratégias para reduzir seus custos de investimento.

Como evitar o endividamento com as marcas

Como evitar o endividamento com as marcas

Os endividamentos com as marcas de revenda acontecem quando o consultor está despreparado e acredita que, se comprar muitos produtos, terá retorno garantido. Mas a verdade é que comprar é fácil, mas vender é difícil.

Por isso, é preciso começar com cautela, fazendo pedidos pequenos e de acordo com as demandas dos clientes. Depois, quando já tiver mais experiência pode usar parte dos lucros para investir num estoque ou em outras estratégias, desde que você tenha certeza de que a sua ideia não se tornará somente produtos parados em sua estante.

Veja aqui 5 passos para vender na internet e fique por dentro!

Além disso, é preciso estar preparado para os meses de vacas magras, afinal, nem sempre será possível ter boas vendas – mesmo fazendo tudo como deve ser. É aí que entra a necessidade do capital de giro.

Capital de giro é todo recurso financeiro que alguém ou empresa possui para arcar com despesas e custos variáveis e fixos. Em outras palavras, ele é a reserva financeira (também chamado de caixa reserva) que qualquer vendedor ou empresário precisa ter para conseguir segurar as pontas, caso tenha uma dívida inesperada ou para conseguir sobreviver à períodos de faturamento zerado ou diminuído.

Segundo especialistas, o ideal é que o capital de giro da empresa seja equivalente a seis meses de despesas. Então, se seu negócio tem despesa de R$30 mil por mês, o recomendado é que sua reserva financeira seja de, pelo menos, R$180 mil.

É importante ter em mente que esse dinheiro serve para a segurança financeira do negócio e que se for utilizado poderá ser reposto em períodos de maior lucratividade.

Outra coisa que te ajudará – e muito – a ter sucesso garantido na revenda de produtos é conhecer as técnicas de marketing. O nome pode parecer difícil, mas na prática, não promete tanta dor de cabeça quanto a pronúncia da palavra. Você entenderá o porquê de insistir em aprender técnicas de vendas no capítulo a seguir.

Como o marketing aplicado à revenda vai te tornar um revendedor de sucesso

O marketing é um conjunto de atividades que têm o objetivo de aumentar os lucros de uma empresa ou adequar os produtos e mercadorias às preferências do consumidor, ou seja, é por meio dele que se pode aprender como agradar um cliente e quais estratégias funcionam na hora de fazer uma promoção, por exemplo.

Há empresas que depois de adotar práticas de marketing conseguem dobrar ou até triplicar o faturamento, simplesmente porque aprenderam a lidar melhor com o consumidor, influenciando-o a tomar decisões que interessem à marca.

Meu Mundo Avon: como funciona? Benefícios e mais!

Os revendedores de produtos, assim como as empresas, também podem encontrar nas estratégias de marketing uma oportunidade para vender muito melhor. Afinal, porque ficar pensando horas e horas como fazer para conseguir um bom faturamento no mês sozinho sendo que alguém já sabe como fazê-lo e pode te ensinar o que é preciso ser feito?

Apesar das possibilidades de ganhos que o marketing pode representar para quem trabalha com vendas diretas, ainda são poucos os revendedores que se valem dessas práticas para conseguir vender melhor.

Deixe seu comentário