Cielo afirma que Whatsapp pagamento chega esse ano ao Brasil

Após quase um ano desde seu anúncio e lançamento em outros países, ao que parece em 2021 finalmente o Brasil poderá contar com a versão do Whatsapp pagamento.

O anúncio foi feito pelo CEO da Cielo, Paulo Caffarelli, na última quinta-feira (28 de janeiro) que garantiu que o Banco Central deve liberar o novo recurso ainda nesse primeiro semestre.

Segundo o executivo, todas as obrigatoriedades impostas pelo BC para a liberação da função do aplicativo, foram atendidas.

“O Banco Central exigiu que o WhatsApp Pay se cadastrasse como credenciador de pagamento, condição do regulador que respeito muito, já que haverá um volume crescente ao longo do tempo. A aprovação está muito próxima. Eu diria que ainda no primeiro semestre sai a autorização do BC, já que todos os requisitos do BC feitos às bandeiras, que dizem respeito ao arranjo das coordenadoras de pagamento, foram realizados”, afirmou Caffrelli.

Publicidade

 



Apesar do anúncio e grande interesse da Cielo, outras instituições financeiras como Banco do Brasil, Nubank e Sicredi também deverão fazer parte da parceria com o aplicativo.

A aposta é que o WhatsApp pagamento seja integrado ao sistema PIX, possibilitando que os usuários mesclem suas carteiras digitais, ao recurso do aplicativo.

Apesar da fala do executivo, até o momento não houve uma afirmação concreta de prazos por parte do Banco Central ou do WhatsApp. Dessa forma, como no último trimestre do ano passado Caffarelli já havia dito que a liberação deveria acontecer em novembro, o que não se concretizou, não é possível ter certezas em relação aos prazos anunciados pela Cielo.

Publicidade


Publicidade


Leia também

A novela do WhatsApp Pagamento no Brasil

WhatsApp-pagamento

A liberação do WhatsApp Pagamento vem se arrastando no Brasil desde junho do ano passado.

Publicidade

Tudo começou quando o WhatsApp anunciou que seu novo recurso de pagamentos seria lançado no Brasil, e o país seria o primeiro a poder usa-lo. O país foi escolhido como estreante da função por seu um dos que mais tem usuários do aplicativo.

Publicidade

No entanto, com a notícia, o Banco central considerou que o lançamento poderia ser desleal com a concorrência e uma semana mais tarde decidiu por bloquear a função no país. A alegação foi de que a ferramenta precisava passar por avaliações em relação a competitividade e privacidade.

Em agosto, a Cielo afirmou que não havia contato direto com o Banco Central sobre a liberação da nova ferramenta do aplicativo. Isso porque, segundo a empresa, a conversa estava sendo conduzida pelas detentoras de bandeiras de cartões.

Um tempo depois, começou a se desconfiar de que o bloqueio do whatsapp pagamentos no país, tinha forte relação com o iminente lançamento do PIX. Nos bastidores, o BC era acusado de não ter dado a liberação ao aplicativo, para privilegiar seu próprio sistema de transações financeiras instantâneas. Apesar disso, o Banco afirmou que poderia haver uma integração entre os dois sistemas, o que seria feito pelas instituições financeiras.

Segundo afirmação do próprio presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, feita em novembro, a função de pagamento do WhatsApp deveria ser liberada em breve. A prioridade deveriam ser as transações entre pessoas físicas.

“Whatsapp vai entrar e vai começar fazendo transferência entre pessoas em breve. Eu tenho conversado bastante com o CEO, inclusive ele tem me dito que o processo no Banco Central foi mais rápido do que em outros países. Estamos avançando bastante. Depois vamos para o modelo de transferências entre pessoas e empresas. Nossa preocupação é que [a empresa] passe por todos os processos de aprovação.”

Apesar da afirmação, após isso, nada mais foi especificado pelo órgão monetário. Dessa forma, não há certezas de quando o serviço estará em funcionamento por aqui.

WhatsApp atualiza seus termos de privacidade

Com a iminente aprovação de sua ferramente de pagamentos, o WhatsApp atualizou no último dia 6 de janeiro seus termos de privacidade do usuário.

Entre as principais mudanças, a que mais chama atenção é a de compartilhamento de transações financeiras por meio do Facebook Pay. 

A nova política, segundo a empresa, tem como objetivo promover maior segurança dos usuários dentro do aplicativo, além de o aprimoramento dos sistemas de comunicação e infraestrutura, combatendo ainda mais as mensagens de spam.

Publicidade

Veja também: WhatsApp lança função de carrinho de compras no App

Publicidade

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário