Vendas online devem crescer 27% na Black Friday 2020

Segundo levantamento da Ebit Nielsen, empresa de medição e análise de dados, as vendas online devem aumentar 27% na Black Friday 2020, em comparação à edição do ano passado. Se confirmado o valor, ele deve representar um crescimento de 38% e-commerce no ano.

As projeções para o desempenho do comércio eletrônico no evento de ofertas que acontece no final de novembro indicam um crescimento do setor superior ao registrado em todo o ano de 2019.

Ainda de acordo com a Ebit, a alta no faturamento das vendas online no ano passado foi de 16,3%, chegando a  R$ 61,9 bilhões. Enquanto isso, o crescimento do e-commerce na última Black Friday foi de 23,6%, representando um faturamento de R$3,2 bilhões.

vendas online

Para Júlia Ávila, líder da Ebit, os números das vendas online em 2020 são bastante expressivos, pois refletem a adaptação do consumidor ao e-commerce. Este fenômeno vem sendo observado desde o início da pandemia de Covid-19. Só em São Paulo, por exemplo, o setor cresceu em seis meses o mesmo que em seis anos.

Ávila acredita que com a pandemia, o comércio eletrônico se tornou um porto seguro para os consumidores, substituindo com eficiência as lojas físicas.

Após meses de perdas econômicas durante um 2020 atípico, o último trimestre do ano apresenta alguns sinais de retomada para o comércio. Conforme a Ebit, o consumidor brasileiro está recuperando a confiança de comprar nestes últimos meses por conta da inflação mais baixa.

Além disso, a criação de contas digitais para recebimento do auxílio emergencial fez com que muitos se habituassem às transações internet.

Neste cenário, o Brasil está entre os países nos quais os consumidores devem passar a comprar cada vez mais pela internet, segundo a Euromonitor.

Lojas antecipam ofertas da Black Friday 2020

Como de costume, algumas empresas estão antecipando suas ofertas e estendendo a Black Friday para um período maior do que a sexta-feira em si.

Entre elas está a Via Varejo, detentora das redes Casas Bahia e Ponto Frio. A iniciativa do grupo tem o objetivo de diminuir eventuais aglomerações durante o dia de ofertas. Dessa forma, as lojas da companhia iniciaram o período de promoções na última sexta-feira (23), mais de um mês antes da Black Friday.

Segundo Ilca Serra, diretora de marketing e comunicação multicanal do grupo, a estratégia de ofertas inclui mais do que promoções. As lojas da Via Varejo também devem oferecer vantagens como frete grátis e entrega mais rápida.

Com isso, a marca atende à tendência apontada pelo Google de que os consumidores devem buscar mais do que descontos na Black Friday 2020. Em relação às ofertas de frete grátis, por exemplo,  o Google divulgou que as buscas pelo termo cresceram 118% em julho quando comparadas ao período da última Black Friday.

Sierra destaca que com o foco na experiência dos consumidores, a campanha da empresa foi a mais lembrada pelos compradores no ano passado.

No caso da Via Varejo, as ofertas irão durar 40 dias, sendo que até o dia 27 novembro, data da Black Friday 2020, elas estão disponíveis tanto nas lojas físicas quanto nas plataformas digitais. De acordo com a empresa, não haverá flutuação de preços.

Dicas para vendas online durante a Black Friday

Em entrevista ao site M+, o head de Estratégias Digitais na agência especializada em marketing digital com foco em performance GhFly, Sérgio Hneda, afirmou que o e-commerce não é algo passageiro.

Para Hneda, há inúmeras oportunidades para o e-commerce com o crescente interesse dos consumidores. Por conta disso, o especialista deixou cinco dicas para aumentar as vendas online durante a Black Friday 2020:

  1. Negociar bons descontos com fornecedores. Com isso, o comerciantes conseguem baixar ainda mais os preços dos seus produtos sem perder lucro. E oferecendo descontos maiores do que os da concorrência, a chance de faturar acima do esperado é maior.
  2. Ter um estoque de produtos que ficarão em promoção. É preciso evitar o erro de subestimar o potencial das promoções, pois no caso de uma explosão de vendas, o negócio precisa estar preparado para evitar atrasos nas entregas.
  3. Verificar a performance do marketplace utilizado para saber se ele suporta muitos acessos. Segundo Hneda, clientes reclamam bastante de instabilidades e erros em sites que não suportam picos de tráfego.
  4. Oferecer experiências personalizadas aos clientes do marketplace. Para isso, é indispensável conhecer os interesses e comportamentos do público-alvo para entregar ofertas ideais para cada perfil.
  5. Preparar uma boa variedade de canais de mídia e anúncios otimizados, e planejar bem a questão da logística. Hneda destaca a importância de planejar detalhadamente as ações pré, durante e pós Black Friday. Com isso, é possível aproveitar todos os canais de contato com o público e potencializar as vendas e imagem positiva da marca.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário