The Body Shop desenvolve linhas de perfumes exclusivas para o Brasil

A The Body Shop, marca britânica de cosméticos pertencente à Natura, lançou três linhas de perfumes exclusivas para o mercado brasileiro. O investimento para desenvolver os produtos foi equivalente a 40% do valor total da empresa aplicado no Brasil.

A aquisição da The Body Shop por parte da Natura foi concluída em 2017, em um negócio estimado em € 1 bilhão. Mas mesmo com o Brasil tendo o segundo maior mercado de perfumes do mundo, a marca ainda não tinha produtos exclusivos para o país.

Com a novidade, a The Body Shop passa a contar com itens feitos sob medida para o gosto e o bolso do consumidor brasileiro, o que é raro para a empresa, que tem poucos mercados com produtos específicos.

perfumes The Body Shop

Para a diretora de marketing da marca no Brasil e América Latina, Karina Meyer, apesar do tamanho do mercado brasileiro de perfumes, o país tem um segmento especial e específico. Segundo a Euromonitor, o Brasil é responsável por 13,4% do mercado global de perfumes, atrás apenas dos Estados Unidos.

Uma das principais características do público brasileiro é a preferência por fragrâncias que fiquem na pele o dia inteiro. Outro destaque é em relação aos preços: a média de valor desembolsado por aqui para se comprar um perfume está entre RS 120 e R$ 150. Mas a The Body Shop não contava com nenhum produto nesta faixa.

A iniciativa de lançar logo três linhas diferentes de produtos foi tomada para marcar presença no setor brasileiro de perfumaria. Segundo Meyer, para isso era necessário fazer um movimento intenso para ganhar representatividade no segmento.

Saiba mais:
Kit inicial Natura 2020/2021: Preço, lista de itens e como adquirir.

Linhas da The Body Shop exclusivas no Brasil

A Flores de Lolita é a primeira linha da marca exclusiva para o mercado brasileiro. A linha conta com perfumes mais românticos, e os produtos custam até R$ 100.

A marca Lolita fazia parte da Empório Body Store, empresa brasileira que foi comprada pela companhia inglesa em 2013, e foi reformulada. Antes da aquisição da marca por parte da The Body Shop, a linha era voltada a cuidados corporais, sendo que loções e sérum hidrantes eram os produtos mais vendidos.

Para transformar a Lolita em uma linha de perfumes, a empresa britânica precisou fazer algumas modificações. Entre as mudanças realizadas estão a retirada dos silicones e o uso exclusivo de matérias-primas vegetais.

Outra linha de destaque é a Choices, que conta com quatro perfumes que podem ser combinados para criar um aroma mais personalizado. Meyes aponta que as brasileiras têm este hábito de mesclar produtos, o que justifica a proposta da marca com a estratégia que permite misturar as fragrâncias.

Segundo a diretora, a linha incentiva as clientes a brincarem com os perfumes e fazerem suas próprias combinações. Além disso, quando dois ou mais produtos são misturados, as fragrâncias ganham ainda mais durabilidade.

Veja também
Natura Friday promove ofertas e a valorização de revendedoras da marca.

Adaptação da marca para o mercado brasileira é bastante calculada

Apesar de a Natura ter concluído a compra a The Body Shop há três anos, a linha exclusiva de perfumes chegou ao país somente agora por conta de outras urgências que a marca precisava resolver no mercado brasileiro.

Entre as mudanças recentes da empresa, se destaca a reformulação dos produtos focados em cuidados corporais e faciais. Com as mudanças, a linha contém somente ingredientes naturais e sem origem animal, o que vai de encontro aos investimentos em pesquisa sustentável que deu à Natura o título de empresa mais inovadora do Brasil em 2020.

A experiência global tanto da The Body Shop quanto da Natura foram fundamentais para acelerar este desenvolvimento. A linha Choices, por exemplo, conta com dois perfumes que são derivados de produtos disponíveis no Oriente Médio.

Como em diversas outras categorias de produtos, entre os perfumes nem tudo funciona no mundo inteiro. Um exemplo disso é o aroma de manga. Apesar de este ser um dos mais populares do mercado mundial, no Brasil não tem tanto espaço pelo fato da fruta ser muito comum por aqui.

Enquanto isso, com os aromas florais o caminho é inverso. No mercado brasileiro são bastante populares, por serem mais raros, mas na Europa são mais corriqueiros e vendem menos.

A expectativa da The Body Shop é aumentar ainda mais as suas vendas no Brasil com as novidades. No período entre abril e junho, a empresa teve um aumento de receita 15,5%, sendo que só nas vendas online o salto foi de 230%.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário