Smart Fit perde quase 200 mil alunos em apenas três meses

Na atual carteira de clientes informada pela Smart Fit aos seus acionistas, foi registrada uma queda de 198 mil clientes em comparação ao valor anunciado em julho.

No comunicado divulgado pela rede no último dia 7 de outubro, o total de clientes informados era de 2.497.000 alunos nos 12 países em que ela opera. Três meses antes, em 7 julho, este mesmo valor era de 2.695.000 clientes.

Apesar de já ser esperada uma queda no número de alunos por conta da pandemia de Covid-19, o volume da perda de clientes do grupo Smart Fit surpreendeu.

smart fit

Estes números levam em conta todas as marcas do grupo, incluindo 02 e Bio Ritmo. Somando todas as unidades pertencentes à rede, ela está presente em 12 países da América Latina.

Mas quando se leva em consideração apenas as academias da marca “Smart Fit”, a queda no número de alunos no mesmo período foi pouco menor, de 191 mil – 2.446.000 agora, contra 2.637.000 em julho.

O Brasil é o pais de origem do grupo Smart Fit, e concentra 332 das 830 academias da companhia. Por aqui, nenhuma unidade da rede encerrou suas operações em definitivo durante o período de quarentena, e a maior parte já voltou às atividades.

Segundo o vice-presidente da companhia, André Pezeta, a frequência tem aumentado recentemente, e a rede já retomou seu plano de crescimento. Isto pode ser observado nos números divulgados: eram 852 academias do grupo em julho, e são 865 agora.

Em relação às outras marcas da rede, a Bio Ritmo e a 02 somavam 37 unidades no levantamento divulgado três meses atrás, e hoje têm 35. O total de alunos destas redes também teve queda, de 58 mil em julho para 51 mil em outubro.

Esforços da Smart Fit podem ter diminuído o estrago

Como os representantes da empresa já esperavam pelo prejuízo durante a pandemia, algumas providências foram tomadas para aliviar as perdas.

Segundo o diretor de relações com investidores da companhia, Afonso Sugiyama, a Smart Fit congelou as cobranças de mensalidades enquanto as academias permaneceram fechadas. Os únicos valores que continuaram sendo cobrados foram os de manutenção anual, de taxa de adesão, e as pendências de pagamentos anteriores ao fechamento.

Ainda conforme Sugiyama, em setembro foram reabertas algumas das principais unidades da rede. Entre elas as localizadas na Cidade do México, capital do segundo país com mais academias da Smart Fit (166), atrás apenas do Brasil. Também reabriram em setembro unidades nas principais cidades da Colômbia, como Bogotá e Medellin.

Além disso, a rede de academias também aumentou a sua atuação no ambiente digital para manter a conexão com os clientes. Durante a quarentena, a Smart Fit lançou o site Treine em Casa, que oferece aulas em mais de 20 modalidades de treino.

A plataforma é gratuita para todas as pessoas, inclusive aquelas que não são clientes Smart Fit. Com isso, foram registrados 23 milhões de visitantes nos quatro meses iniciais do projeto.

Outra iniciativa voltada à atuação online partiu da Bio Ritmo, que tem 30 academias no Brasil. A marca alugou 500 bicicletas de spinning para os seus alunos para oferecer aulas virtuais. Os modelos mais em conta custam R$ 399 por mês, e as aulas são R$ 14,90 para não associados.

Para Pezeta, a tendência é que as pessoas passem a treinar de forma híbrida, realizando treinos em casa como complemento ao que é feito na academia. Dessa forma, ela não deixariam de frequentar academias, de modo que a expectativa é que a frequência volte à certa normalidade.

Como ser um fraqueado da Smart Fit

Aqui mesmo nós já falamos sobre os procedimentos e investimentos para ter uma academia da franquia Smart Fit. A manifestação de interesse pode ser feita diretamente pelo site da rede, preenchendo o formulário disponível na página “Quero ser um franqueado”.

Após preencher o formulário de intenção, a Smart Fit passa um tempo analisando o cadastro para ver se o empreendedor tem o perfil exigido pela rede. Em caso de resposta positiva, representantes entram em contato para agendar uma reunião e discutir as condições.

Em relação ao investimento para abrir uma franquia da rede, ele gira em torno de 400 mil a 2 milhões de reais. O valor depende do tamanho da academia, a localidade em que ela será aberta, e outros fatores que devem ser considerados.

Além do valor de investimento, o franqueado ainda precisa pagar uma taxa mensal de 4,5% pela publicidade, e de 10% pelos royalties da marca.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário