Setor de moda se destaca entre os aplicativos mais baixados do Brasil

Apesar dos sinais de desaceleração do e-commerce por conta do processo de reabertura de lojas físicas, o setor de roupas, calçados e acessórios segue em alta entre os aplicativos mais baixados no Brasil.

Os apps deste segmento estão com índices de downloads quase três vezes maiores do que os registrados em 2019. Entre os dias 12 e 25 de outubro, por exemplo, o crescimento foi de 193%.

O principal destaque da categoria é o aplicativo da C&A, que tem o maior número de downloads entre as grandes marcas do setor. Na sequência da lista de mais baixados no segmento, estão os aplicativos da Renner e da Centauro.

aplicativos mais baixados

A alta do setor de moda no comércio eletrônico segue na contramão da maior parte das demais categorias. Como a recuperação do tráfego de consumidores em lojas físicas e locais de entretenimento se estabilizou, o e-commerce parou de crescer nos níveis em que vinha crescendo.

Mas segundo o banco Goldman Sachs, a frequência de pessoas nestes ambientes ainda não está nos mesmos níveis anteriores à pandemia. Um levantamento do banco revela que nas últimas três semanas o índice de tráfego está aproximadamente 20% menor do que no período pré-pandemia.

Veja também
Maioria dos consumidores deve passar a comprar mais pela internet.

Número de downloads dos aplicativos mais baixados desacelerou

Os índices de downloads de aplicativos das principais redes varejistas é um dos indicadores utilizados para acompanhar o desempenho do comércio eletrônico no mercado brasileiro.

Ao contrário do setor de moda, demais segmentos vêm apresentando crescimento mais moderado nos últimos meses. Após passar por um período de pico em junho, aplicativos de diferentes passaram por uma desaceleração nas últimas semanas de outubro, quando o crescimento de 15% foi o menor do ano.

O pico de downloads em junho representou uma das principais estratégias das empresas no período de pandemia. O estímulo ao uso dos aplicativos foi uma tática comum para tentar fidelizar os clientes em um momento de crise.

Entre os aplicativos que tiveram queda no número de downloads, estão os de empresas que cresceram em 2020, como iFood, Rappi e Mercado Livre. Nas últimas semanas, os apps destas empresas tiveram um crescimento menor do que o de 2019, segundo o Goldman Sachs.

Por outro lado, outro setor acompanhou o de roupas, calçados e acessórios na alta de downloads. No segmento de beleza, os aplicativos continuam apresentando crescimentos consideráveis, mesmo que inferiores aos índices de meses atrás.

Nas últimas semanas de outubro, aplicativos de empresas como Natura e Boticário estiveram entre os mais baixados de marcas do setor varejista, com alta de 124%. Na categoria de apps de beleza, o pico de downloads aconteceu em setembro, quando o aumento foi de 185%.

Neste segmento, o aplicativo mais baixado é o d’O Boticário, que teve um disparo de 713% nos downloads no último período analisado.

Veja também
Programa revendedor Cacau Show cresce e já conta com 65 mil MEIs.

Aplicativos de supermercados e delivery têm maior queda

Entre os aplicativos com maiores baixas nos índices de downloads em comparação com o mesmo período de 2019, chama a atenção a presença de dois setores que vinham se destacando. Os apps de mercados e delivery apresentavam alta de 40% no número de downloads antes da pandemia, mas nas últimas semanas de outubro tiveram queda de 30%.

O iFood, por exemplo, que é considerado o principal aplicativo de delivery do país e recentemente aumentou atuação no setor de mercados ao comprar o SiteMercado, cresceu menos que no ano passado. Segundo o Goldman Sachs, o iFood cresceu 43% a menos entre 19 e 25 de outubro do que no mesmo período do ano passado.

Apesar disso, o app de delivery brasileiro continua tendo o maior número de downloads de 2020, com um valor superior à soma de todos os concorrentes. Entre os principais competidores do iFood, o Carrefour teve queda de 28% e o Rappi de 9%.

Enquanto isso, outros dois aplicativos do setor continuam em alta. Os downloads do James Delivery, que pertence ao grupo Pão de Açúcar, cresceram 43% no período. Já o Supermercado Now, que este ano foi comprado pela B2W, teve um crescimento ainda mais significativo: 685%. Uma das principais explicações apontadas para as altas destes dois serviços é o fato de eles serem mais recentes.

Outro aplicativo que segue em alta no país é o da Amazon, com crescimento de 194% no número de downloads. O índice está abaixo do pico de 334% apresentado no período próximo à Prime Day, mas coloca o app da Amazon na sétima posição entre os mais baixados do ano.

Em números absolutos, os aplicativos com os maiores números de downloads do Brasil em 2020 são Americanas, Magazine Luiza e Mercado Livre. As informações são da Exame.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário