Mês de setembro 2020 foi melhor para as empresas do que no ano passado

O mês de setembro registrou um índice inédito para as empresas paranaenses em 2020. Esta foi a primeira vez no ano em que mais da metade dos estabelecimentos do estado teve alta nas vendas mensais, quando comparadas ao mesmo período de 2019.

É o que aponta o boletim das secretarias da Fazenda e do Planejamento e Projetos Estruturantes do Paraná divulgado na sexta-feira (9/10/2020). De acordo com o levantamento, 51,9% das empresas paranaenses venderam mais em setembro de 2020 do quem no mesmo mês do ano passado.

O setor atacadista é o principal responsável pelo crescimento. Neste segmento, 60% das lojas tiveram neste ano um setembro melhor que o de 2019.

empresas paranaenses

Depois do setor atacadista, os outros destaques positivos são a indústria, que cresceu 55%, e o varejo com alta 52%. Enquanto isso, o setor dos restaurantes teve uma queda considerável no período, segundo o governo: 71%.

O boletim também aponta que 3,9% das empresas paranaenses tiveram um setembro estável. Mas 44,2% dos estabelecimentos apresentaram queda, sendo que para 3,3% deles as vendas foram 80% menores do que o valor registrado em setembro do ano passado.

Além disso, a maioria das empresas paranaenses não superou os desempenhos registrados em 2019, mesmo antes da pandemia.

O primeiro mês do ano, por exemplo, teve alta de vendas para 48,4% dos estabelecimentos em relação a janeiro de 2019. Para 5,4% houve estabilidade nas vendas, e para 46,2% o resultado foi inferior.

Mas o pior mês até o momento foi abril, quando apenas 27,7% registraram crescimento em relação a 2019, enquanto 70% tiveram quedas nas vendas. Entre as empresas com desempenho inferior no período, 13,8% tiveram redução de 80% nas vendas.

Arrecadação de ICMS

Um dos impactos do resultado apresentado no último mês de setembro foi a contenção na queda de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Paraná.

Apesar disso, o valor arrecadado no mês ainda foi 0,5% menor do que no ano passado. Segundo o levantamento, foram arrecadados R$ 2,7 bilhões em ICMS pelo governo do Paraná em setembro, R$ 14,6 milhões a menos do que em 2019.

No ano, a queda na arrecadação de ICMS no estado é de 6,5% em relação ao valor registrado em 2019, o que representa redução de R$ 1,5 bilhão. Quando comparado ao valor previsto pelo Governo do Paraná na Lei Orçamentária de 2020, a queda é R$ 1,7 bilhão.

Em setembro, um dos setores com considerável queda na arrecadação de ICMS em comparação ao mesmo período de 2019 foi o de combustíveis (-24%). Em compensação, os segmentos com maiores variações positivas foram, mais uma vez, o de varejo (21,1%) e o atacadista (18,4%).

O valor total de ICMS pago pelos paranaenses entre janeiro e setembro foi de R$ 22,6 bilhões.

Índices por setor e produtos

No setor de comércio varejista, oito dos 11 segmentos analisados fecharam setembro com aumento nas vendas em comparação ao mesmo mês de 2019.

A categoria que mais cresceu foi a de áudio, vídeo e eletrodomésticos, com alta de 56%. Outros destaques foram: materiais de construção (33%), supermercados (14%), informática e telefonia (11%), e cosméticos e higiene pessoal (10%) – setor que iniciou o semestre crescendo acima do esperado no Brasil.

Por outro lado, além da já citada queda nas vendas dos restaurantes, outros setores que venderam menos em setembro deste ano do que no de 2019 foram os de calçados (-20%) e de vestuário (-10%).

Enquanto isso, entre os produtos avaliados, 19 tiveram alta no mês e apenas nove registraram quedas. Os destaques positivos ficam com os telefones celulares, com aumento de 53%, linhas brancas e as tintas e vernizes, ambos com 48%, e os colchões (47%).

No ano, as maiores altas registradas são do setor alimentício, o que inclui produtos variados como cereais, frutas, verduras, e carnes. Já as maiores baixas de 2020 no estado ficam, mais uma vez, com o setor de vestuário (-25%), e também com variados segmentos de veículos automotivos.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário