Protocolos de segurança do Sebrae orientam retomada no artesanato

Enquanto medidas de isolamento começam a serem flexibilizadas no país, pequenos empreendedores planejam a retomada de suas atividades. Para orientar um retorno seguro ao comércio, o Sebrae elaborou protocolos de segurança para retomada de diferentes segmentos com dicas e orientações.

Um dos setores mais afetados pela pandemia do novo coronavírus foi o de artesanato. Com vendas realizadas em locais como feiras e centros comerciais voltados a turistas, o comércio de artesanatos precisou interromper seu contato direto com o consumidor.

Por isso, o setor de artesanatos é um dos segmentos contemplados pelo conjunto de 35 protocolos elaborados pelo Sebrae. O material de orientações de retomada segura para artesãos foi desenvolvido com base em recomendações das principais autoridades de saúde do Brasil e do mundo, e de entidades que representam o próprio setor do artesanato.

Protocolos de segurança

Entre as orientações, algumas são fundamentais para fundamentais para trabalhadores de qualquer setor, como a necessidade de higienização com água e sabão ou álcool em gel 70%, e de manter um distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas.

Além disso, empreendedores do setor devem informar aos colaboradores e clientes sobre a necessidade de adotar algumas normas importantes, como o isolamento de quem apresentar sintomas como tosse leve ou febre baixa (37,3 C ou mais).

Recomendações para o local de trabalho

Outras orientações do material elaborado pelo Sebrae se referem ao ambiente de trabalho de artesãos e outros comerciantes.

Segundo o documento, é recomendada a criação de um espaço separado para receber mercadorias, estoques e outros insumos. Além disso, áreas de produção e espaços de convivência precisam ser limpos em uma frequência maior do que os demais ambientes da empresa.

Mercadorias também precisam de limpeza e de desinfecção assim que chegarem. Já as ferramentas de trabalho, objetos e equipamentos de uso manual, máquinas e superfícies devem ser higienizadas constantemente.

O material do Sebrae ainda esclarece que é preciso usar as páginas da empresa na internet para avisar o público sobre qualquer tipo de restrição, e sobre os fluxos distintos de entrada e saída da loja.

Por fim, o Sebrae também recomenda seguir sempre os protocolos de segurança exigidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde e Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Também devem ser levadas em consideração medidas do poder público e decretos vigentes em cada região.

Como voltar ao trabalho com segurança? Dicas do Sebrae para cada segmento

Conforme dito anteriormente, os protocolos de retomada do Sebrae contemplam diversas setores de negócios do país. São recomendações para os mais variados empreendimentos, e além do e-book o Sebrae também oferece vídeos e outros materiais informativos para download gratuito.

A seguir, você pode conferir os setores e tipos de empreendimentos para os quais o foram elaborados os protocolos de segurança. Além disso, todos os documentos citados podem ser acessados diretamente na página do Sebrae:

  • Varejo: Mercearias, minimercados e supermercados; Lojas de rua e lojas de shoppings; Feiras livres;
  • Alimentação: Panificadoras e confeitarias; Bares, restaurantes e lanchonetes; MEI de alimentação. Falando nisso, aproveite para conhecer seis ideias de como vender comida feita em casa;
  • Beleza: Salões de beleza, barbearias, maquiadores e clínicas de estética;
  • Moda: Loja de vestuário, loja de calçados, loja de acessórios e atacarejo;
  • Negócios Pet;
  • Saúde e bem-estar: Academias de ginástica; Clínicas de saúde; SPAs; Instituições de longa permanência para idosos (ILPI);
  • Construção civil: Lojas de materiais de construção; Indústria da construção; Lojas de móveis; Indústria do mobiliário; Escritórios de arquitetura e projetos;
  • Turismo: Agências de turismo; Meios de hospedagem; Turismo em áreas naturais; Turismo de negócios e eventos.
  • Artesanato;
  • Automotivo: Peças, acessórios e serviços de reparação automotiva;
  • Logística e transportes: Serviços de delivery; Transporte por aplicativo e táxi; Escolar; De cargas – fracionadas; De cargas rodoviário. Aliás, aqui já mostramos cinco maneiras para ganhar dinheiro com o seu próprio carro;
  • Indústria: Indústria de base tecnológica e energia;
  • Economia criativa: Eventos culturais; Games; Audiovisual;
  • Serviços educacionais: Curso livres; Escolas.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário