Como ser um ponto de coleta do Mercado Livre e ganhar um extra

Pensando em se tornar um ponto de coleta do Mercado Livre para conseguir dinheiro extra? Pois é exatamente isso que iremos te ensinar nesse artigo.

Para reduzir a necessidade de idas até os correios e transportadoras parceiras, o Mercado Livre pensou em uma nova forma de para fazer os envios de mercadorias de seus vendedores.

Os pontos de coleta nada mais são do que empresas parceiras que se colocam a disposição para receber e armazenar produtos que deverão ser retirados pela transportadora para envio aos clientes. Com isso não é necessário que o vendedor do produto precise ir até o correio ou a transportadora, além de várias mercadorias ficarem armazenadas apenas em um local.

Se cadastrar como um ponto de coleta do Mercado Livre é simples e a seguir nós te ensinamos como fazer.

Como ser um ponto de coleta do Mercado Livre?

ponto de coleta mercado livre

Para se tornar um ponto de coleta do Mercado Livre é necessário se cadastrar no site da empresa de logística parceira da plataforma.

A Kangu é a responsável por realizar a entrega de mercadorias adquiridas no ML e é ela que realiza as coletas nos pontos da cidade. Dessa forma, a primeira coisa a se fazer é entrar no site da Kangu clicar no menu “Seja um ponto Kangu” e  em seguida realizar seu cadastro na plataforma.

Para isso você deve preencher um formulário com o nome da sua empresa e outras informações sobre ela. Após completar clique em “enviar”.

O seu cadastro será analisado conforme as informações prestadas por você no formulário como o endereço e os horários de funcionamento do seu estabelecimento. A empresa também verifica a quantidade de vendedores presentes na sua região para estimar a demanda que o seu local receberia.

No caso de o seu estabelecimento se adequar a necessidade da empresa, a mesma fará contato aprovando a sua inscrição.

Leia também

Características necessárias para se tornar um ponto de coleta Mercado Livre

As exigências para poder ser um ponto de coleta do Mercado Livre não são muitos, no entanto, são pontuais e precisam ser correspondidas.

Em suma, é necessário:

  • Ter uma empresa já em funcionamento no mercado, não sendo possível abrir um estabelecimento apenas para o trabalho de ponto de coleta;
  • Que o estabelecimento funcione em localidade de fácil acesso para a empresa logística realizar as retiradas;
  • Ter espaço suficiente para poder armazenar as mercadorias recebidas de modo correto;
  • Que a empresa funcione ao menos de segunda a sexta-feira em horário comercial;
  • Possuir celular com acesso a internet e com o aplicativo da Kangu instalado;
  • Ser pessoa jurídica formalizada com CNPJ;
  • Ter conta bancária empresarial.

A instalação do aplicativo Kangu é exigida, pois é por meio dele que acontecerá toda a administração das mercadorias. Dessa forma, nele serão registrados cada recebimento e envio de produtos.

Quem pode se tornar um ponto de coleta?

Praticamente qualquer tipo de estabelecimento pode se tornar um ponto de coleta, contanto que corresponda as exigências citadas no tópico anterior.

Isso acontece pois o único trabalho da coletora é realmente receber, armazenar e entregar as mercadorias para a entrega ao cliente. E em algumas situações, pode ser que o estabelecimento acabe atuando diretamente com o cliente, quando é opção desse fazer uma retirada in loco.

Por que se tornar um ponto de coleta?

Segundo a Kangu, as maiores vantagens para os estabelecimentos que decidem se tornar pontos de coleta é que mais pessoas acabam conhecendo o negócio.

Com a ida frequente dos vendedores ao ponto para despachar a mercadoria, as chances desses se tornarem cliente do estabelecimento são grandes.

Outra vantagem citada pela empresa de logística é a divulgação do local, que acaba sendo indicado tanto por ela quanto pelo próprio Mercado Livre.

Por último, a questão de dinheiro extra que a prestação de serviço pode oferecer ao negócio, é com certeza a maior vantagem.

Vale a pena se tornar um ponto de coleta

Apesar das vantagens citadas pela Kangu, a verdade é que o negociante precisa pensar bem até onde ser um ponto de coleta do Mercado Livre realmente vale a pena.

Ter divulgação é sempre interessante, no entanto, é preciso saber exatamente de que forma essa será feita e se realmente pode surtir algum efeito na conquista de novos clientes. E mesmo dessa forma, é preciso saber para que tipo de público você será divulgado, de outra forma, pode ser que isso acabe nem sendo uma estratégia plausível.

A verdade é que, o que realmente deve contar aqui é o dinheiro extra que pode ser recebido com o serviço. A Kangu não divulga quanto paga para os postos de coleta parceiros, no entanto, baseando-se em modelos parecidos de outras empresas logísticas, o valor não deve ultrapassar o de alguns centavos por mercadoria.

Dessa forma, o ideal é saber exatamente qual é esse valor e mensurar a demanda que o seu estabelecimento pode ter. Só assim é possível saber se esse é um serviço viável financeiramente de ser prestado.

Apesar desses pontos a se avaliar, é importante ter em mente que esse mercado está em crescimento por conta do grande número de e-commerce surgindo no Brasil. Dessa forma, ainda que hoje o valor recebido não seja grande coisa, daqui a um tempo é possível que a lucratividade aumente, assim como os competidores para fornecimento desse serviço.

No fim, cabe a cada negociante avaliar os prós e contras de se tornar um ponto de coleta do Mercado Livre.

Veja também: Fotos Mercado Livre: A importância de boas imagens para VENDER MAIS

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário