Plataforma online estimula aulas de empreendedorismo nas escolas

O guia digital Empreendedorismo Social na Educação foi lançado nesta terça-feira (8) através de uma parceria entre as instituições Oi Futuro, British Council e Porvir. A proposta é auxiliar professores a levarem noções de empreendedorismo para a sala de aula.

O guia digital de Empreendedorismo Social na Educação é gratuito e já está disponível na internet. O material é direcionado a professores das redes de ensino pública e privada, e pretende ajudar alunos a desenvolverem habilidades e competências na área de empreendedorismo social.

O conteúdo do guia inclui dicas, estratégias e casos reais brasileiros e britânicos. É um material visa demonstrar a força do empreendedorismo social para diminuir desigualdades e problemas socioambientais. São orientações que visam auxiliar a articulação entre empreendedorismo e outros processos educacionais.

Guia digital de empreendedorismo

Dessa forma, o guia digital propõe apresentar estratégias diversas para que as escolas desenvolvam projetos que estimulem os jovens a serem agentes de transformação social a partir de práticas empreendedoras.

Promover diálogos entre os universos da educação e do empreendedorismo social e sistematizar essas reflexões foi uma jornada participativa e inspiradora, que resultou num conjunto de referências e orientações com condições de apoiar a construção de um ensino médio significativo para os jovens”, afirmou Tatiana Klix, diretora do Porvir.

Para Tatiana, a expectativa é que o guia “provoque novas conversas e consiga potencializar o lugar do estudante e da escola como protagonistas dos processos de inovação na educação e na sociedade”

Vale lembrar que em 2019, o empreendedorismo foi um dos quatro eixos estruturantes dos itinerários formativos do ensino médio incluídos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) pelo Ministério da Educação. Apesar de não obrigar a inclusão do tema no currículo, a iniciativa visou estimular o empreendedorismo nas escolas. E foi a partir daí que surgiu a ideia para a criação do guia digital.

Ensino Médio terá empreendedorismo como disciplina

Nesta quarta-feira (9), o Diário Oficial do Estado do Mato Grosso do Sul publicou lei que inclui o empreendedorismo no currículo escolar. Com a iniciativa, o tema será integrado como conteúdo transversal junto às disciplinas existentes o Ensino Médio público sul-mato-grossense.

Após a publicação, a lei deve ser regulamentada pelo Poder Executivo em até 180 dias. Ela entra em vigor na data de sua publicação e tem efeitos a partir do dia 1º de janeiro de 2021.

A proposta da lei Nº 5.562/2020 é apresentar noções de empreendedorismo para os estudantes da rede pública a partir de quatro pontos:

  • Desenvolvimento de habilidades e competições para sua absorção no mercado de trabalho;
  • Ética, livre iniciativa, sustentabilidade e cooperação;
  • Educação financeira, cultura organizacional, gestão de negócios e de mercado;
  • Capacidade de gestão e inovação.

Para o autor da proposta, deputado Antônio Vaz (Republicanos), saber mais sobre empreendedorismo é de grande valia para o futuro dos jovens. Além disso, o deputado considera que a inclusão transversal preserva a autonomia e as propostas pedagógicas das escolas.

Lei também inclui Libras no currículo escolar

Além do empreendedorismo, a lei 5.562/2020 também torna obrigatória a inclusão de forma transversal do ensino de Libras (Língua Brasileira de Sinais) no Ensino Médio do Mato Grosso do Sul.

Nesse caso, o ensino pode ser realizado em caráter complementar, e a abordagem do tema deve seguir conforme a área do conhecimento relacionada. É justamente essa a proposta de incluir no currículo escolar temas transversais, que correspondem a questões importantes para a vida cotidiana. Eles não exigem a criação de novas áreas ou disciplinas, pois seus conteúdos devem ser incorporados às áreas já existentes e ao trabalho educativo da escola.

O ensino de Libras acontecerá a partir de abordagens conceituais, históricas e culturais, reafirmando sua importância para a inclusão social.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário