Pesquisa sobre a Black Friday 2020 revela tendências para a data

O Google apresentou os resultados de sua pesquisa sobre os planos dos consumidores para a Black Friday 2020. Segundo o levantamento disponibilizado ao público pelo quarto ano consecutivo, mais da metade dos brasileiros pretendem ir às compras na data.

A pesquisa foi realizada pela Provokers, empresa focada em marcas, mercados e negócios, e indicou quais devem ser as principais tendências e mudanças em relação a 2019.

Conforme já antecipado pelo Google na semana passada, uma das principais tendências para este ano é o aumento da relevância do comércio eletrônico para as vendas do evento.

pesquisa black friday

Segundo a diretora de negócios para o varejo do Google Brasil, Gleidys Salvanha, a Black Friday 2020 deve ser diferente em diversos aspectos.

Além do crescimento do e-commerce, se tornando o principal canal de compras, também se espera mudanças nas intenções dos consumidores. Para ela, categorias como móveis, imóveis, games e brinquedos devem ganhar maior relevância no evento.

A executiva ainda destaca que os brasileiros devem se planejar melhor para aproveitar as ofertas. Conforme o levantamento, 82% deve pesquisar na internet antes de fazer compras, sendo que 41% dos consumidores já estão fazendo suas buscas.

Ainda de acordo com a pesquisa sobre a Black Friday 2020 divulgada pelo Google, 54% dos consumidores brasileiros pretendem aproveitar as ofertas do evento, índice menor do que o registrado em 2019.

Internet deve ser principal canal de compras

Uma das principais mudanças nos hábitos de consumo observadas durante a pandemia foi o crescimento dos canais digitais. E a internet não deve ter relevância apenas como meio de compra, mas também para as ponderações dos consumidores sobre questões como segurança e vantagens de compra.

Segundo a pesquisa, 40% das pessoas devem comprar apenas pela internet, índice 7% maior do que no ano passado. Enquanto isso, os consumidores que pretendem comprar somente em lojas físicas representam 26% dos entrevistados, ante 27% em 2019.

Já o número de brasileiros com a intenção de comprar em ambos os canais caiu em relação ao ano passado – eram 40%, agora são 34%. Isso demonstra que há mais consumidores se sentindo seguros em relação ao e-commerce do que a lojas físicas.

Além disso, os aplicativos também estão ganhando mais importância nas experiências de compra. De acordo com a pesquisa, 70% dos consumidores já utilizam o aplicativo da loja favorita, e 64% concluem suas compras por meio dos apps.

Entre aqueles que vão comprar pela internet na Black Friday, 59% pretende fazer isso via aplicativos.

Intensão de comprar na Black Friday diminuiu em 2020

Apesar de revelar que mais da metade dos brasileiros planejam comprar com na Black Friday 2020, a pesquisa traz um índice menor que o do ano passado. O percentual de consumidores que afirmam que compraram é 54%, 8 pontos percentuais abaixo do registrado em 2019.

Um dos principais motivos para esta diminuição é a queda na renda e no poder de compra dos brasileiros após a pandemia. A análise dos número revelados pelo Google indicam que as pessoas estão mais preocupadas com as finanças e também conscientes de suas prioridades.

Em relação àqueles que pretendem ir às compras no período, a principal motivação de compra citada é o prazer de aproveitar boas ofertas (57%).

Outras motivações destacadas foram as possibilidades de poder comprar algo que antes não era possível por questões financeiras (49%), de comprar um produto que se tinha vontade (41%), e de repor algum item (34%).

Produtos que mais devem vender na data

Segundo a pesquisa sobre as tendências para a Black Friday 2020, seis em cada 10 consumidores devem aproveitar a data para comprar algo que planejam adquirir nos próximos 6 meses.

Os segmentos com maior índice de intenção de compra para o evento são:

  1. Celulares – 38%;
  2. Eletrodomésticos – 30%;
  3. Informática – 28%;
  4. Roupas Femininas – 28%;
  5. TVs – 26%;
  6. Roupas – 24%;
  7. Eletroportáteis – 24%;
  8. Perfumes – 24%;
  9. Tênis – 22%;
  10. Móveis – 22%.

Segundo as buscas no Google, o cenário favorável aos Celulares e Eletrodomésticos indicado pela pesquisa para a Black Friday 2020 deve se confirmar. Os indicadores do site revelam um comportamento de espera para a compra destes itens na data.

Conforme o Google, o interesse por estes produtos está mais elevado do que o normal. Entretanto, o índice ainda é pior do que o pico da Black Friday do ano passado.

Os setores de informática e móveis, que tiveram intensas procuras durante a pandemia, registrando buscas acima da média de 2019 no Google, devem seguir entre os principais destaques de necessidades e desejos dos brasileiros.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário