Marketplace – O que é? Entenda esse conceito que cresce no Brasil

A popularidade dos marketplaces aumentou com o passar dos anos e apesar da palavra em si significar “lugar de negócios”, hoje ela é usada para definir especificamente os shoppings eletrônicos. Mas para além disso, você sabe exatamente o que é Marketplace?

Com o crescimento das vendas online e a necessidade de diversos empreendedores em se inserir no mercado digital, os marketplaces ganharam mais importância.

Com um formato bastante receptivo, esse tipo de plataforma acabou sendo o escolhido por empresas que possuem seus próprios e-commerce online e gostariam de expandir o alcance de sua marca. No entanto, os maiores aderentes do modelo foram os pequenos empreendedores e os iniciantes, que nem sempre tem condições de abrir e manter suas próprias lojas virtuais.

Todo esse interesse fez com que apenas no primeiro semestre de 2019 houvesse um crescimento de mais de 13% nos marketplaces, equivalendo a um faturamento de mais de R$17 bilhões, segundo dados de uma pesquisa realizada pelo E-Commerce Brasil.

A seguir nós explicamos um pouco mais sobre o que é marketplace, além das vantagens e outras informações para empreendedores.

O que é marketplace?

marketplace

Basicamente, como já falamos no primeiro parágrafo desse texto, marketplace é um shopping online onde são reunidos diversos comerciantes que anunciam seus produtos. Dessa forma, vários fornecedores decidem por comercializar seus produtos em um mesmo site.

Os exemplos de marketplace mais conhecidos no Brasil são o Mercado Livre, Amazon, Magalu, Grupo Americanas, Shopee e Aliexpress.

Nesse tipo de mercado online, os clientes costumam fazer uma pesquisa por aquilo que desejam comprar dentro do site, e tem acesso aos produtos de todos os comerciantes que vendem tal mercadoria. Com isso, o consumidor pode escolher qual das opções é mais vantajosa para ele, analisando a reputação do vendedor, preço, frete, entre outras coisas.

Além dos marketplaces de produtos, na rede também é possível encontrar opções desse formato para serviços.

No caso, vários prestadores se reúnem em uma única plataforma, e o cliente pode decidir por meio de comentários, reputação e outros fatores aquele que será escolhido para contratação.

Vantagens de vender nesse tipo de plataforma

Além da vantagem de grande variedade para os clientes, para os empreendedores apostar nas vendas por um marketplace pode significar ainda mais vantagens.

O grande alcance de clientes que esses sites têm, é só uma delas. Os shoppings online funcionam como uma grande vitrine onde os lojistas conseguem expor seus produtos para pessoas de todas as regiões do país e em alguns casos, do mundo. Isso é ótimo especialmente para o pequeno comerciante, que pode ter o mesmo alcance que marcas reconhecidas no mercado.

A economia para se anunciar em uma plataforma dessas, é sem dúvidas o que mais atrai os lojistas. Boa parte dos marketplaces acabam cobrando taxas sobre vendas de produtos e outros serviços. No entanto, em comparação aos custos de se montar e manter uma loja virtual própria, a vantagem é muito grande.

Os principais motivos de valer a pena arcar com essas pequenas taxas, é que a maior parte dos marketplaces contam com sistemas de pagamento e frete próprios. Sendo assim, os lojistas não precisam se preocupar em elaborar planos de logísticas e podem contar com toda a segurança no momento de receber os pagamentos pelas suas mercadorias.

 Desvantagens de vender em marketplace

É claro que nem só de benefícios vivem processos comerciais. Vender em marketplaces também tem algumas desvantagens que precisam ser analisada pelo empreendedor antes de realizar um cadastro e iniciar as vendas.

Por exemplo, a questão de reconhecimento de marca é uma das coisas mais afetadas ao se decidir vender em um site que não é próprio. Ao ser inserido em um marketplace, o negócio fica a mercê de uma empresa muito maior e não consegue trabalhar suas próprias estratégias de marketing. Com isso, fica mais difícil para os clientes gravarem na memória o nome da empresa na qual compraram tal produto e tudo se resume ao nome do marketplace.

Outra desvantagem desse modelo é a questão da concorrência. Como já dissemos antes, cada vez mais empreendedores estão levando seus negócios para essas plataformas. Dessa forma, existem muito negócios semelhantes, vendendo produtos e serviços semelhantes, o que torna mais difícil se destacar.

Por último, as próprias taxas as quais falamos no tópico passado. Apesar de serem consideradas mais baixas do que a montagem de um site próprio, pode ser que para alguns tipos de comerciantes ainda assim elas não sejam vantajosas. Quem tem demanda de produtos muito baixa por exemplo, ou quem pratica valores muito baratos. Por isso, esse um fator que precisa ser posto na ponta do lápis para ter certeza de que o investimento em um marketplace não acabará representando prejuízos para o negócio.

Como foi possível ver, o marketplace é uma das maneiras mais interessantes de se inserir nas vendas online. No entanto, assim como em qualquer tipo de decisão a ser tomada nos negócios, é precisa avaliar muito bem os prós e contras de se iniciar uma jornada nessas plataformas.

Veja também: Novo programa de logística da Amazon deve reduzir tempo de entrega

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário