Mercado Livre planeja investimento recorde no Brasil em 2021

O Mercado Livre deve aumentar a aposta no mercado brasileiro, planejando bater novo recorde de investimento no país em 2021. À Bloomberg, o Gerente Nacional do da companhia no Brasil, Fernando Yunes, revelou que o grupo planeja superar a marca de R$ 4 bilhões investidos no Brasil neste ano.

A estratégia da empresa está inserida em um momento de crescente esforço para fortalecer sua infraestrutura logística. A estratégia é aproveitar o cenário de extensão das vendas pela internet por conta da pandemia, o que tem acirrado a concorrência entre as varejistas.

Segundo Yunes, o planejamento para o ano que vem inclui investimentos maiores do que em 2020, quando o valor desembolsado pela empresa foi recorde. O gerente acredita que a mudança no comportamento dos consumidores observada neste ano não deve voltar ao patamar pré-pandemia.

mercado livre

Recentemente, Mercado Livre se tornou a maior empresa da América Latina em valor de mercado, superando marcas como Vale, Petrobras e Itaú Unibanco. A companhia argentina dobrou de tamanho em 2020 graças ao crescimento do setor de e-commerce durante o período de pandemia.

Segundo levantamento da consultoria Economatica divulgado em agosto, o valor da empresa equivalia a US$ 59,3 bilhões, uma valorização de 108,7% em relação ao valor registrado em 1º de janeiro de 2020.

A empresa líder em valor de mercado no continente no início do ano era a Petrobrás, que àquela altura vai R$ 101 bilhões. Entretanto, uma sequência de circuit breakers na bolsa brasileira fez a Vale assumir o topo da lista, até ser ultrapassada pelo Mercado Livre.

A companhia é a única representante argentina presente no levantamento da Economatica.

Faturamento do Mercado Livre cresceu no segundo trimestre

O mercado brasileiro foi responsável por mais da metade da receita total da companhia no segundo trimestre, 53%. Por aqui, a média de vendas semanais aumentou 74% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Em relação às visitas ao marketplace da empresa, em alguns dias de 2020 os números chegaram a 41 milhões de acessos. Na Black Friday do ano passado, por exemplo, um dos principais eventos de vendas do varejo brasileiro, o valor total foi de 32,8 milhões de visitas.

Segundo o Relatório Setores do E-commerce no Brasil, em setembro as principais lojas virtuais do mercado brasileiro tiveram 1,21 bilhão de acessos. Com isso, o valor de 1,2 bilhão de acessos mensais ficou estabelecido como o novo patamar para base de comparação em 2021.

Para a Black Friday 2020, a expectativa é de um alto índice de vendas no e-commerce, o que reforça o otimismo do executivo do Mercado Livre no Brasil. Yunes revela que a companhia espera passar dos três dígitos de crescimento na data, e por isso foi aprovado um investimento três vezes maior que o de 2019.

Investimentos em infraestutura

Um dos principais investimentos do Mercado Livre nos últimos meses tem sido em infraestrutura logística. Isso porque a empresa planeja entregar aproximadamente 75% dos produtos armazenados e distribuídos pela rede própria companhia no prazo de 48 horas após o pedido. Na Black Friday de 2019, este índice foi de cerca de 55%.

Além disso, o Mercado Livre também passou a fazer entregas durante os fins de semana, e tem se esforçado para diminuir cada vez mais sua dependência dos Correios. Antes da recente greve dos funcionários da estatal, os Correios eram responsáveis por mais de 50% das entregas dos produtos vendidos pela empresa.

No final de agosto, o Mercado Livre iniciou as operações no seu terceiro centro de distribuição no país, em Lauro de Freitas (BA). Este é o primeiro CD da empresa no Nordeste, e já há negociações para a abertura de um quarto centro, desta vez na região Sul.

Por fim, o executivo da companhia ainda destacou que o Mercado Livre deve subir, em breve, duas grandes redes de farmácias do país na plataforma.

A estratégia da empresa é aproveitar a recente alta deste segmento, assim como algumas de suas concorrentes. Afinal, marketplaces como Amazon, Magazine Luiza, Via Varejo e B2W têm apostado no setor, tanto de maneira orgânica quanto por meio de aquisições.

Yunes afirma que o Mercado Livre tem a tradição de cumprir objetivos organicamente, e que não existe um movimento em direção a aquisições. No entanto, não quer dizer que isso não possa acontecer.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário