Mercado de piscinas cresce e oferece oportunidades para empreender

As mudanças de rotina causadas pela pandemia do novo coronavírus impactaram diversos segmentos econômicos. Um dos exemplos disso é o mercado de piscinas, que vinha em alta nos últimos anos e teve suas vendas beneficiadas pelas medidas de isolamento social.

Com as pessoas passando cada vez mais tempo em casa para evitar aglomerações, as opções de lazer precisaram ser adaptadas à nova realidade. Por conta destas mudanças e do inverno incomum em diversas regiões do país, empresas do ramo de piscinas tiveram espaço para crescimento no período.

Entre elas está a Rio Piscinas, empresa que aumentou em 140% o seu número de vendas em comparação ao ano passado. Com o salto na demanda, a marca registrou aproximadamente 200 revendas no país inteiro.

mercado de piscinas

Além da atuação no mercado de piscinas com ofertas de todos modelos e tamanhos, a Rio Piscinas também fabrica acessórios e banheiras. A empresa ainda é detentora das marcas Pet Pools, Real Piscinas, Nature, Creativity e a recém criada linha de piscinas para bebês Baby Pools.

Segundo o diretor e cofundador da companhia, Carlos Rezende, e expectativa da rede é alcançar a marca de 250 revendas pelo Brasil até o final do ano. Rezende destaca que o foco de expansão da empresa está voltado às regiões Sul, Norte e Nordeste do país.

A Rio Piscinas está presente em 18 estados e conta com oito fábricas próprias. Conforme Rezende, a empresa ainda se prepara para inaugurar uma nova fábrica destinada à produção de banheiras residenciais com o selo da Nature, uma de suas marcas.

Mercado de piscinas é promissor

Segundo dados da Associação Nacional das Empresas e Profissionais de Piscinas (ANAPP), o Brasil está em segundo lugar no ranking mundial do mercado de piscinas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Apenas no ano de 2018, foram instaladas mais de 100 mil unidades no país, um crescimento de 4,3% em relação ao ano anterior. Com isso, o Brasil chegou à marca de mais de 2,8 milhões piscinas instaladas em todo o território nacional.

O levantamento da ANAPP destaca que o modelo mais vendido no país é o de 3×6 metros, equivalente a 25 mil litros. As piscinas de fibra e de vinil correspondem, cada uma, a 35% do total de unidades instaladas no país, enquanto os 30% restantes são preenchidos pelos modelos em concreto.

Além disso, a entidade também aponta que um fator que deve contribuir para aquecer ainda mais as vendas do setor é a revisão da ABNT na norma referente à recirculação, tratamento e segurança em piscinas. Com isso, uma janela de oportunidades se abre para fabricantes e lojistas.

Com alta nas vendas, setor de tratamento de piscinas ganha espaço

O crescimento de um mercado tende a estimular outros. No caso das piscinas, enquanto mais unidades são vendidas, mais empreendedores na área de tratamento e limpeza ganham clientes em potencial.

Entre as pessoas que têm piscina em casa, muitas preferem confiar os serviços de limpeza e manutenção a profissionais especializados. Além de garantir um serviço de qualidade, isso evita gastos com equipamentos e possíveis danos à casa de máquinas por inexperiência.

Por isso, este pode ser um setor promissor para iniciar um negócio próprio. Os empreendedores que sabem oferecer um serviço diferenciado, com bom atendimento e flexibilidade para se adaptar à agenda do cliente podem lucrar bastante nesta área.

Mas antes de começar um empreendimento neste setor tão específico, é preciso conhecer o seu público-alvo e também os concorrentes. Além disso, há que se considerar também os investimentos iniciais, principalmente em especialização, equipamentos e produtos químicos.

Em relação ao faturamento, profissionais que atendem semanalmente clientes com piscina de 8mx4m, por exemplo, costumam cobrar entre R$300 e R$400 por mês, dependendo da região. Nessa base, com uma carteira inicial de 10 clientes é possível faturar até R$4.000.

Se você tiver interesse em abrir um negócio no setor, este artigo traz algumas dicas importantes de como abrir uma empresa de limpeza de piscinas.

Além disso, no site da ANAPP está disponível um curso de tratamento de piscinas. As aulas são divididas em 10 capítulos, e o prazo para conclusão é de 60 dias.

O investimento no curso da ANAPP é de R$ 1.080,00, mas quem se associar à entidade tem direito a 50% de desconto. Na página do curso há mais informações e o link para fazer a compra das aulas.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário