Farmácia Delivery – Transformando o negócio com a entrega de remédios

Com cada vez menos pessoas dispostas a sair de casa de para fazer compras, os negócios que oferecem a possibilidade de compras a distância ganham vantagem. Até mesmo a farmácia com sistema delivery acabou se encaixando nessa tendência e hoje tem maiores chances de faturar se comparadas aquelas que não oferecem essa opção.

As compras digitais, por telefone e WhatsApp já vinham ganhando força na última década. No entanto, com a pandemia de coronavírus, a aderência das pessoas por esses serviços, foi acelerada em alguns anos, atingindo seu pico em 2020 sem perspectivas de baixas.

Isso fez com que até mesmo serviços essenciais como os de supermercados e farmácias se adaptassem, o que, apesar de necessitar de um ótimo planejamento, se mostrou mais uma oportunidade de aumentar as vendas do negócio.

farmácia delivery
Publicidade

Para o empreendedor farmacêutico com dúvidas de como implantar o delivery de medicamentos em seu negócio, abaixo nós esclarecemos os principais pontos para transformar a sua farmácia com o sistema delivery.



Conheça a legislação de entrega de medicamentos antes de tudo

Antes de iniciar o planejamento da empresa em relação a inserção do formato delivery, é muito importante conhecer todos os pontos primordiais da Legislação de entrega de medicamentos. Assim como uma drogaria ou farmácia, a entrega de medicamentos conta com uma série de regras que precisam ser obedecidas pelo estabelecimento. Do contrário isso pode acarretar é muitas dores de cabeça para o empreendedor.

As regras para se realizar a entrega de remédios podem ser encontradas na Resolução RDC nº44 de 2009 da Anvisa, onde, além das regras sobre boas práticas farmacêuticas in loco, também apresenta regras sobre outros serviços oferecidos pelas farmácias.

Especificamente as regras para a solicitação remota e entrega de medicamentos, se encontra a partir do Artigo 52º do documento. Nele, fica claro que esse tipo de serviço só pode ser realizado por farmácias e drogarias que se encontrem abertas ao público. Além disso, o farmacêutico precisa estar presente no estabelecimento durante todo o período de funcionamento.

Publicidade


Publicidade


Para além da RDC 44, o empreendedor também precisa estar atento a Portaria 344 que trata especificamente da entrega de medicação controlada. Aliás, devido a pandemia de coronavírus e a necessidade do isolamento social, a ANVISA realizou algumas modificações temporárias nessa portaria.

Faça um planejamento minucioso – Farmácia Delivery

Depois de conhecer muito bem a legislação e portarias vigentes sobre a entrega de remédios, está na hora de montar o planejamento do estabelecimento para início da oferta desse serviço.

Publicidade

Uma das primeiras coisas a se pensar é em como oferecer o serviço de delivery de forma rápida sem afetar o atendimento presencial da farmácia. Para isso, é necessário elaborar um plano especializado apenas para as entregas com atendentes, entregadores e claro, pensando na parte financeira envolvida nesse novo serviço.

Publicidade

Uma coisa que pode ajudar nesse momento é a utilização do plano de negócio, que costuma ser elaborado no início da empresa. Com ele você tem um guia de base de valores para encaixar no novo serviço.

Leia também

Opções para o transporte de entregas do seu estabelecimento – Farmácia Delivery

Ao iniciar o serviço de entregas de medicamento, o empreendedor tem duas opções para investir. No caso, ou se monta uma equipe própria de entregadores, ou se faz uma parceria com aplicativos de entregas.

Na primeira opção o estabelecimento precisará contratar entregadores que ficarão disponíveis durante o funcionamento da farmácia. Uma das vantagens desse modelo, é que o empreendedor pode ter maior controle sobre como seus produtos estão sendo entregues. Nesse caso, em relação a qualidade de atendimento dos entregadores para com o cliente, armazenagem dos produtos em transporte, valores de frete, entre outras coisas.

Já na segunda opção, com a parceria com aplicativos de entrega, como o Rappi por exemplo, o empreendedor tem a vantagem de não precisar se preocupar com a contratação de pessoal próprio ou planejamentos de logística, já que as entregas são feitas pelos entregadores do aplicativo. No entanto, esse serviço também não sai de graça, podendo ser cobradas taxas sobre vendas entre 10% e 30%.

Outra coisa é que, apesar de a entrega ser feita de modo terceirizado, a responsabilidade em relação a armazenamento dos medicamentos durante o trajeto e qualidade em que os mesmos serão entregues, ainda é de responsabilidade da farmácia.

A melhor coisa a se fazer para decidir qual a melhor opção, é listar os prós e contras de cada modelo. Além disso, é preciso colocar todos os valores envolvidos na ponta do lápis.

Software de gestão de entregas

Para que não hajam equívocos na hora de receber os pedidos e realizar as entregas, é muito indicado que o estabelecimento invista na instalação de um software de gestão de entregas.

Publicidade

Com esse tipo de programa, é mais fácil fazer o controle de pedidos, saída de medicamentos, estoque, controle de receitas, entre outras coisas.

Para que o programa seja ainda mais eficiente, o ideal é optar por um específico para o gerenciamento de delivery de farmácias.

Publicidade

Divulgação da Farmácia Delivery

Após colocado em ação, é hora de deixar os clientes saberem que a farmácia está fazendo delivery. Para isso, é indicado que seja feito anúncios nas redes sociais do empreendimento, além uma divulgação com material físico. Esse último pode ser entregue nas residências mais próximas ao estabelecimento.

Outra dica, caso o estabelecimento já possua o contato de alguns clientes, é criar uma lista de transmissão utilizando o WhatsApp Business avisando da novidade.

Além do anúncio, é bastante indicado que o estabelecimento desde o início (caso possível) faça algumas promoções que incentivem as pessoas a utilizarem o sistema delivery, e consequentemente, comprarem mais.

Entre esses, podemos citar o exemplo do Frete Grátis para compras acima de um valor “X”.  A oferta de brindes para clientes que efetuarem “tantos pedidos” em um único mês também é interessante.

Veja também: Como abrir um Delivery em casa e com pouco dinheiro

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário