Evento CX Fashion tem ideias importantes para o e-commerce de moda

Na próxima semana acontece o CX Fashion, evento online e gratuito voltado ao e-commerce no setor de moda. O evento será realizado nos dias dias 26 e 27 de outubro das 17h às 20h, e tem o objetivo de apontar novos insights para quem vende online.

A ideia dos organizadores é que as discussões do CX Fashion girem em torno das as perspectivas que são abertas a partir do bom uso da tecnologia, e de proporcionar boas experiências aos clientes.

Os organizadores também pretendem refletir com os participantes sobre o momento atual e o futuro da moda, mercado que vem se expandindo no comércio eletrônico. Durante os dois dias de evento, estarão presentes renomados diretores e gestores de grandes marcas do setor de varejo, e profissionais de CX e UX para tratar de temas como digitalização e experiência de compra.

cx fashion

O CX Fashion é promovido pela Orginal.io, empresa de tecnologia com especialidade em experiência de compra. A intenção da iniciativa é promover conteúdos de qualidade que estimulem o crescimento do setor e-commerce no mercado brasileiro.

Durante o período de pandemia, o comércio eletrônico passou por um processo de crescimento acelerado. Só em setembro, foram registrados 1,21 bilhão de acessos em e-commerce no Brasil, o que foi o menor número desde abril. Com isso, os índices de setembro concretizaram as novas bases do setor no país.

Dessa forma, a expectativa do mercado é que e-commerce siga em alta nos próximos meses, principalmente durante as compras de final de ano.

A pandemia lançou toda a sociedade às plataformas digitais. Atento a essa maior demanda, o e-commerce, que antes vinha se estruturando para negócios mais robustos, agora tem a oportunidade de chegar a novos patamares e se estabelecer, de fato, como a preferência de compra”, comentou Thiago Verçosa, CEO da Original.io.

Leia também

Para participar do debate proposto, o evento contará com diversos nomes no cenário de empreendedorismo. Ao todo, o encontro terá a participação de 14 palestrantes que representam marcas de destaque no mercado brasileiro.

Além disso, também estarão presentes no evento alguns “Keynote Speakers”, que são oradores de destaque responsáveis por dar o clímax do evento. Nesta lista, os participantes são:

  • Roni Magalhães – diretor de negócios digitais das Lojas Renner;
  • Rafa Kalimann – fundadora da marca BYRK;
  • Fabio Faccio – diretor-presidente das Lojas Renner;
  • Tiago Downsley – CDO do Grupo Soma;
  • Paulo Correa Jr. – Presidente da C&A no Brasil;
  • Bruna Tavares – co-fundadora da Linha Bruna Tavares;

As inscrições para o CX Fashion são gratuitas, e devem ser realizadas por meio do site do evento.

Grandes marcas do setor de moda inovam durante a pandemia

Empresas como C&A e Renner, que terão representantes no CX Fashion, tem apresentado inovações nestes últimos meses.

Nesta semana, a C&A Brasil anunciou o lançamento de uma ferramenta de inteligência artificial que recomenda produtos para os clientes. Ainda em fase piloto, a IA da empresa está disponível somente para produtos do Mindse7, e deve ser expandida para outras categorias e coleções do site em breve.

A nova ferramenta da C&A tem o objetivo de entender o perfil de cada cliente e fazer sugestões de roupas, acessórios e calçados de acordo com o que já está sendo procurado. Com isso, a proposta é auxiliar consumidoras a montarem looks, encontrarem peças similares, e oferecer demais informações sobre os produtos e outras dúvidas que possa ter.

Para isso, os clientes só precisam chamar a assistente via chat box, que o atendimento será iniciado.

Renner

Quem também apresentou novidade neste mês foi a Renner. A empresa lançou máquina para vender roupas em uma estação de metrô de São Paulo, e deve expandir a iniciativa para outros ambientes.

O projeto é similar a um equipamento lançado pela C&A neste ano, e disponibiliza para venda itens de moda, como camisetas básicas e acessórios, e também de utilidade para o combate à Covid-19, como máscaras de tecido e frascos de álcool em gel.

Além disso, a Renner também destaca que tem intensificado sua atuação no ambiente digital durante o período de pandemia. As mudanças da marca incluem a aceleração da sua transformação digital, desenvolvimento de soluções para experiências omnicanais, e engajamento de equipes.

A adaptação da empresa às mudanças observadas nos padrões de consumo se mostraram indispensáveis recentemente. Em abril, por exemplo, a Renner chegou a ter 100% das suas lojas físicas fechadas por conta da pandemia.

Os estabelecimentos voltaram a atender gradualmente nos meses seguintes, mas não a tempo de evitar uma queda de 73,3% da receita líquida da empresa.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário