Esalpet lança vending machine com produtos de pet shop

A Esalpet, uma das maiores redes de pet shop do país e a maior do Paraná, acabou de lançar seu mais novo produto no mercado. Trata-se a Esalpet Machine, uma máquina de vendas com produtos para animais.

A empresa é uma das que mais aposta em inovações voltadas para vendas, e é pioneira no lançamento de uma Pet Machine no Brasil.

A máquina deve funcionar da mesma maneira que máquinas de refrigerante ou snacks. Dessa forma, basta selecionar o produto desejado, inserir o valor de pagamento na máquina, e coletar a mercadoria.

esalpet

Segundo a empresa, o objetivo do lançamento é expandir os modelos de venda da empresa para além das lojas físicas, e-commerce e televendas.

A ideia de inserir uma vending machine nas estratégias da Esal, não é exatamente uma novidade. Além dos pet shops, o grupo também é detentor de uma rede de floriculturas, a Esalflores, e já em 2015 lançou a Flower Machine, com a mesma proposta do seu mais recente produto. A ideia foi um sucesso com instalações das máquinas em 21 estados brasileiros. Agora, a empresa espera que sua nova máquina de vendas siga os passos da versão florida.

A primeira Pet Machine da marca foi instalada em uma das unidades da Esalflores, na cidade de Curitiba. Essa primeira unidade conta com um mix de produtos alimentícios para cães, gatos, aves e roedores, além de alguns brinquedos e acessórios para animais.

Segundo o CEO do Grupo Esal, Bruno José Esperança, a ideia é ir variando o mix dos produtos da máquina e fazendo adaptações para conseguir atender as necessidades dos clientes.

Posteriormente, a empresa já planeja a instalação das Pet Machine em outros pontos da cidade, e futuramente em outros estados.

Grupo fundou seu próprio laboratório de inovações para atender Esalpet e Esalflores

Sempre em busca de novas e melhores formas de atender aos consumidores, e consequentemente de aumentar as suas vendas, a Esal decidir montar seu próprio laboratório de inovações no ano passado.

A Essallabs surgir por conta da necessidade do grupo de desenvolver softwares próprios para a operação de suas máquinas tanto da Esalflores quanto da Esalpet.  Quando os aparelhos chegaram até o grupo, a empresa viu uma dificuldade muito grande em encontrar sistemas no mercado que permitissem o gerenciamento das mesmas de forma assertiva.

Dessa forma, atualmente, todos os sistemas utilizados nas máquinas de venda da empresa, foram desenvolvidas pelo laboratório do grupo. O CEO do grupo afirma que desde que esses fatores tecnológicos passaram a ser desenvolvidos pela própria empresa, até mesmo o tempo de processamento das vending machine diminuíram.

“Se antes demoravam até 20 segundos, hoje concluímos uma venda em 3 segundos. Estamos cada vez mais maduros nos conceitos de vending machine e nos sentimos seguros para compartilhar o resultado de toda a nossa jornada, que como consequência refletem diretamente em agilidade e qualidade para o nosso cliente”, afirmou o Bruno.

Vending Machines são apostas de grandes marcas no Brasil

E não é apenas a Esalpet que resolver ampliar seus atendimentos por máquinas de vendas.

Demorou um tempo considerável, mas finalmente as vending machines se tornaram parte de estratégias de vendas de diversas empresas.

Com popularidade sempre alta em países como Japão, Estados Unidos e regiões da Europa, parece que apenas há poucos anos as marcas descobriram que esse modelo de vendas também poderia dar certo por aqui.

A mais nova grande empresa a investir nessa opção é a Grendene, que decidiu pela instalação de máquinas como essa em pontos comerciais estratégicos para oferecer seus produtos da marca Ipanema.

O objetivo da empresa é avaliar como será o desempenho das máquinas durante o ano de 2021. Caso o resultado seja positivo, oferecer o modelo em formatos de franquias.

Outra empresa que também resolveu dar uma chance para as máquinas de vendas no Brasil foi a C&A. Em setembro de 2020 a marca anunciou que iria realizar a instalação de vending machines de camisetas básicas, em alguns pontos estratégicos de São Paulo.

A ideia, oferece as peças básicas em uma gama completa de tamanhos e cores, e atende tanto o público feminino quanto o masculino. Cada máquina pode armazenar até 480 peças e a maneira de compra segue o padrão desse tipo de máquina.

Veja também: 70% das micro e pequenas empresas investem nas vendas digitais

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário