Consumidores buscarão mais do que descontos na Black Friday 2020

Durante evento online realizado pelo Google com foco nos varejista, a empresa revelou os resultados de uma pesquisa feita em parceria com a Ipsos sobre as tendências para a Black Friday 2020.

Segundo a pesquisa, o período de pandemia fez com que os adeptos de compras online crescesse muito, chegando a 57% o número de brasileiros que fazem compras eletrônicas agora.

Outro dado revelado pelo levantamento foi o de que consumidores que já usavam o e-commerce antes da pandemia, aumentaram a frequência de compras e ampliaram as categorias de produtos buscadas na rede.

Esse novo conhecimento, e o fato de compras online não serem mais novidade para boa parte dos clientes, terão impactos diferentes na Black Friday desse ano, em relação às edições anteriores.

O maior evento de descontos do mundo promete fazer com que muitos comerciantes aumentem suas vendas durante o período. Isso porque segundo levantamento realizado pelo Méliuz, 72% dos brasileiros planejam fazer compras durante a Black Friday de 2020. Contudo, as lojas terão grandes desafios para conquistar clientes esse ano, já que a competição não deve ficar apenas na área das promoções.

Gleidys Salvanha, diretora de negócios do varejo do Google Brasil, acredita que os consumidores estarão mais atentos a todos os benefícios que uma compra na Black Friday poderá trazer e não apenas nos descontos.

A Black Friday de 2020 será menos sobre comprar somente o que está com um super-desconto e mais sobre fazer bons negócios ” , afirmou Salvanha.

A pesquisa do Google corrobora a opinião da diretora e demonstra que diferenciais como o frete, influenciarão muito a decisão de compra do consumidor. Segundo o Google, a procura pelo termo “frete grátis” cresceu 118% em julho em relação ao período da Black Friday do ano passado. Outra busca constante foi pelo “frete expresso” que ganha ainda mais importância em compras realizadas de última hora.

Outro diferencial que terá influência sobre os consumidores online, será a possibilidade de obter cupons de desconto e cashback.

Essa é uma prática de lojas online oferecida há algum tempo e que tem se tornado cada vez mais popular entre os compradores. As lojas virtuais que oferecerem mais esse benefício, com certeza terão vantagem na conquista de clientes.

Black Friday

E-commerce teve movimento de Black Friday em quase todas as semanas em 2020

Segundo o Ebit, 2020 fez com que o número de lojas virtuais crescessem 38% apenas no primeiro semestre. Essa porcentagem representa mais de 7 milhões de novos e-commerces.

Os números ganham sentido porque muitas lojas físicas precisaram migrar para o meio online como forma de sobrevivência em época de isolamento social.

Essa necessidade de fazer compras digitais, fez com que o e-commerce atingisse números de Black Friday em muitas semanas do ano. O levantamento realizado pelo Google apontou que entre os dias 26 de agosto e 22 de setembro, as buscas por categorias de produtos superou o período de Black Friday de 2019. Os produtos mais buscados que superaram o evento do ano passado foram:

  • Móveis e decoração: teve 51% a mais de busca do que durante o período do evento do ano passado.
  • Alimentos e Bebidas: 40% a mais de buscas.
black friday 2020

Amazon e Mercado Livre também foram beneficiadas com o aumento das vendas

Marketplaces como o Mercado Livre e a Amazon também se mostraram felizmente surpresos com o aumento das vendas.

Recentemente o CEO do Mercado Livre anunciou que a empresa faria uma semana de descontos pré-Black Friday por conta do crescimento das vendas durante a pandemia. Em anúncio realizado pela empresa em agosto, foi relato um crescimento de 123% nas vendas do site no segundo trimestre do ano.

A Amazon também ficou tão satisfeita com os números conquistados no Brasil, que decidiu trazer para o país seu maior evento de vendas do ano: o Amazon Prime Day. O evento acontecerá no e-commerce da Amazon dias 13 e 14 de outubro e promete grandes descontos para os assinantes dos serviços Prime da marca.

Apesar desses crescimentos das lojas online, ao que parece nem mesmo a Black Friday conseguirá compensar os prejuízos sofridos por comerciantes de todo o país. Isso porque o Ibevar divulgou essa semana que as vendas do varejo devem cair até 40% este ano mesmo com a Black Friday

Veja também
Startup Take recebe investimento recorde no Brasil de US$ 100 milhões

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário