Comparador de preços do Google ajuda nas compras na Black Friday 2020

Na última semana, o Google já tinha anunciado uma série de novidades para o Google Shopping, como o comparador de preços da ferramenta. No entanto, a princípio os recursos lançados para a Black Friday 2020 estavam disponíveis apenas nos Estados Unidos.

Mas para a sorte dos consumidores brasileiros, os novos mecanismos de rastreamento e comparação de preços do Google Shopping já estão disponíveis por aqui.

A partir de agora, a aba do Google voltada a pesquisa de produtos tem uma listagem de preços mais completa, além de permitir aos consumidores fazerem comparações de valores em tempo real.

comparador de preços Google

O novo recurso aparece na página do produto pesquisado, e a partir de uma barra azul informa informa se o preço está alto, baixo ou dentro da média. Com ele, ainda é possível listar as ofertas em diferentes lojas e conferir quais são os valores mais em conta.

Enquanto isso, a ferramenta de rastreamento de preços, que já é conhecida no Brasil em sites como o Zoom, permite selecionar itens para receber notificações quando houver redução no valor.

A iniciativa do Google tem o objetivo de ajudar os consumidores a fazerem os melhores negócios durante a Black Friday 2020. Devido às mudanças nos padrões de consumo causadas pela pandemia, o comportamento dos clientes em relação à data de ofertas deve ser diferente neste ano.

A busca por vantagens e promoções, por exemplo, tendem a começar antes da hora em 2020. Segundo pesquisa da consultoria Provokers encomendada pelo Google, 62% dos brasileiros planejam pesquisar para a Black Friday com no mínimo um mês de antecedência.

Além disso, os consumidores querem mais do que descontos nesta Black Friday, priorizando também benefícios como frete grátis e cashback.

Como funciona o comparador de preços do Google

Quando os usuários fazem buscas por determinado produto na aba Google Shopping, a página exibe uma barra com percepções de preços. Além disso, o site também exibe a variedade de valores por loja, facilitando a comparação por parte do próprio usuário.

O recurso é semelhante a outros comparadores de preços disponíveis no mercado brasileiro, como o Buscapé. Entretanto, a ferramenta ainda está em fase inicial, e é mais simples do que a versão disponível no exterior.

O sistema faz a busca e comparação de produtos em diversas lojas virtuais onde eles podem ser encontrados. A partir deste mapeamento, ele indica em quais sites o consumidor encontra as melhoras ofertas referentes ao item pesquisado.

É possível fazer a classificação dos produtos listados conforme a relevância ou o preço (do mais barato ao mais caro, e vice-versa).

Outro recurso de destaque disponível no Google Shopping a partir de agora é o de alertas de ofertas. Esta é uma novidade bastante útil para quem está à procura de determinados itens, mas só planejam comprá-los futuramente.

Com a ferramenta, os consumidores podem logar em sua conta no Google e ativar notificações para ofertas futuras. Os alertas são enviados via Gmail ou então pelo aplicativo do Google. Para gerenciar os itens monitorados, ou cancelar as notificações, basta acessar as configurações da conta na aba “Minha atividade”.

Segundo o Google, Black Friday 2020 será histórica

De acordo com dados obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo, indicadores do Google demonstram que este ano a Black Friday deve ter procura bastante superior à edição de 2019.

Entre os dias 26 de agosto e 22 de setembro, ou seja, mais de dois meses antes da data de ofertas, duas em cada três macrocategorias do comércio analisadas pelo Google tiveram um movimento maior de buscas do que na última Black Friday.

Segundo a diretora de negócios para o Varejo do Google Brasil, Gleidys Salvanha, o fenômeno observado é indício de um resultado histórico em 2020.

Entre as categorias mais pesquisadas no país em 2019, como a de móveis e decoração, já há registro de altas de 22% a 51% na procura. Além disso, setores que não costumam ter picos de buscas durante a Black Friday, como o de alimentação, cresceram entre 23% e 40% nas prévias do evento.

Além da já comentada expectativa por maiores procuras por benefícios como frete grátis e cashback, outra tendência para este ano é que os consumidores sejam mais cautelosos em suas compras.

Mas a principal estimativa para a Black Friday 2020 é em relação ao e-commerce. Segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, esta deve ser a edição mais digital da história do evento no país. Por lá, a estimativa é que 80% dos consumidores aumentem as compras online.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário