Como importar produtos dos Estados unidos para revender no brasil

Quem pensa em trabalhar com revendas, muitas vezes acaba batendo na barreira dos altos preços que não permitem colocar uma taxa de lucro satisfatória sobre as mercadorias. Para tentar contornar isso, muitos empreendedores acabam optando por importar produtos dos Estados Unidos.

No passado os Estados Unidos eram o principal parceiro comercial do Brasil, fosse para importações ou exportações. Com as mudanças na economia, o crescimento exponencial do mercado chinês, e a mais recente desvalorização do real, essa parceria já não está mais em primeiro lugar.

Os frequentes desentendimentos entre os atuais governos brasileiro e estadunidense em diversos setores, também tem prejudicado as transações comerciais entre os dois países. Até mesmo algumas sansões vem sendo cogitadas por parte do governo norte-americano em caso de o Brasil não tomar algumas atitudes, principalmente em seu setor ambiental. Isso representaria uma dor de cabeça ainda maior para empresas e empreendedores que pensam em fazer negócios com o país estrangeiro.

Apesar de tudo isso, ainda em 2019 os EUA ficaram em segundo lugar no ranking de importações e exportações brasileiras. As importações foram responsáveis por uma receita de mais de 30 bilhões de dólares, número 3,6% maior em comparação ao ano de 2018.

Após a crise financeira mundial, com maior agravamento no Brasil devido a desvalorização do real, é possível que os números já não sejam mais tão expressivos no final de 2021.

Apesar de tudo isso, ainda que o dólar esteja em seu patamar mais caro da história em comparação a moeda brasileira, os empreendedores ainda conseguem encontrar bons negócios de importação dos Estados Unidos.

Veja a seguir como acontece o processo para importar produtos dos Estados Unidos, além de taxas e outras informações relevantes sobre o assunto.

Leia também

Processo de importação dos Estados Unidos

Para quem está acostumado a fazer importações de países asiáticos, é bom já saber que importar dos Estados Unidos tem um processo bem diferente. Isso porque a maioria das lojas norte-americanas não entregam diretamente no Brasil.

Dessa forma, as compras por lá precisam ser realizadas pela internet utilizando um endereço no próprio país.

Para que isso não trave as compras, a estratégia utilizada pelos empreendedores (e por pessoas físicas comuns também), é a de Redirecionamento de encomendas.

O redirecionamento de encomendas é basicamente utilizar um endereço de uma empresa de envios com sede nos Estados Unidos, responsável pelo despacho das mercadorias compradas, para o Brasil.

Funciona assim: o cliente encontra uma empresa que preste esse tipo de serviço e realiza um cadastro em seu site. Feito isso, a empresa fornece ao consumidor um endereço nos Estados Unidos.

Dessa forma, sempre que realizar uma compra em site americano, é esse o endereço que o cliente irá colocar para a entrega da mercadoria.

A loja em que a pessoa comprou irá enviar os produtos para a empresa de redirecionamento, que irá armazenar as suas compras e quando você quiser, irá enviá-los para o seu endereço no Brasil.

Essas empresas costumam prestar vários serviços antes do envio, como armazenamento por tempo mais longo, separação de mercadorias em caixas menores, catalogação de produtos, entre outras coisas. É claro que tudo isso tem um custo (tirando o próprio frete que será pago pelo envio ao Brasil). Por isso é importante pesquisar bastante as empresas que prestam esse tipo de serviço.

Algumas boas empresas que valem a pesquisa e fazem redirecionamento de encomendas para o Brasil, são:

  • Go Box USA;
  • WeGet2U;
  • Shipito.

Melhores lojas para importar produtos dos Estados Unidos

Usando o método de redirecionamento de encomendas, você pode comprar produtos de praticamente qualquer loja online dos Estados Unidos e mandar entregar no Brasil.

No entanto, existem algumas que são ideais para a compra de produtos para revenda, visto o menor custo dos produtos, e claro, a popularidade da marca no Brasil que pode garantir melhores vendas.

É importante que antes de acessar as lojas indicadas aqui, você instale no seu navegador do Google Chrome a extensão Browsec. Isso porque ao acessar esses sites pelo navegador normal, o Google direciona o consumidor para a versão brasileira do site.

É essencial realizar a compra diretamente no site original porque é lá que está a cotação em dólar. Dessa forma, os preços são mais baratos do que na versão nacional desses sites.

Lembrando que, para efetuar compras em qualquer loja online internacional é necessário ter um cartão de crédito internacional. Caso você não possua, é possível encontrar alternativas para esses cartões com as próprias empresas de redirecionamento de encomendas. Pesquise.

Dito isso, veja a seguir uma lista de bons fornecedores, separados por segmento de produtos, para comprar nos Estados Unidos.

Marketplaces de produtos variados

  • Amazon;
  • Best Buy;
  • Macy’s;
  • Sears;
  • Target;
  • Walmart

Lojas de Roupas

  • Abercrombie & Fitch;
  • Aeropostale;
  • Century 21 Stores;
  • Eastbay;
  • GAP;
  • Hollister
  • Lacoste;

Lojas de Roupas infantis para importar produtos dos Estados Unidos

  • Carter’s
  • Toys’R’US

Lojas de maquiagem e cosméticos

  • BH Cosmetics;
  • ColourPop;
  • MAC;
  • Morphe Brushes
  • Nars;
  • Strawberrynet;

Lojas de eletrônicos para importar produtos dos Estados Unidos

  • B&H Photo Video.

Taxas para importar produtos dos Estados Unidos

O Governo Brasileiro pratica uma política de taxação sobre produtos importados e esse é um ponto importante para o empreendedor observar.

Para compras que atinjam um total de até 3 mil dólares, o imposto simplificado cobrado é de 60% sobre o valor total da compra. Além disso, também são cobradas taxas de PIS, Cofins e IPI.

O cálculo feito pela alfândega para a taxação de mercadorias é em dólar.

Para compras com custo total (incluindo o frete e seguros, se houver) entre 50 e 100 dólares para pessoa física pode não ser cobrado taxa. Lembrando que isso não é uma regra geral e pode ser que mesmo em compras com esse valor a Receita Federal decida aplicar a taxação.

Sendo assim, as principais dicas aqui para empreendedores que compram pensando na revenda são:

  • Realize suas compras utilizando seu CPF e não seu CNPJ;
  • Ao enviar suas compras para os direcionadores de encomendas, peça para que as mesmas sejam separadas em vários pacotes e enviadas separadamente.
  • Peça para que suas encomendas sejam enviadas em pacotes discretos. Quanto menos atenção eles chamarem na alfândega, menor a probabilidade de taxação.

Veja também: Melhores fornecedores de roupas importadas para revender no Brasil

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário