Como importar produtos da China para revender no Brasil

A cada ano que passa o mercado Chinês ganha mais relevância em questão de vendas. Sendo assim, muitos comerciantes brasileiros têm buscado saber como importar produtos da China para revender por aqui e é sobre isso que trataremos a seguir.

Muito mais do que apenas preços baixos, o mercado chinês oferece uma infinidade de produtos. Dessa forma, os comerciantes brasileiros podem escolher minuciosamente aquilo que desejam revender por aqui.

Além disso, outra grande vantagem de comprar produtos importados da China, é que, diferente de importar produtos dos Estados Unidos, o país possui vários marketplaces. Com isso a busca por fornecedores é facilitada, assim como a comparação entre eles, coisa difícil de conseguir fazer nas importações de outros países.

Por último, a maior parte dos comerciantes de lá entregam diretamente no Brasil. Sendo assim, a depender do fornecedor, essa é menos uma dor de cabeça que o importador precisa ter no momento de realizar suas compras.



Veja a seguir as formas possíveis para importar produtos da China e revender no Brasil, além de dicas sobre taxas e outras coisas.

Veja também

Fornecedores para comprar produtos das China e revender no Brasil

importar produtos da china

A primeira coisa que é preciso fazer em um negócio de importação é escolher bem os fornecedores.




Publicidade


Como já adiantamos no início do texto, uma das maiores vantagens de comprar da China são os marketplaces e as entregas feitas diretamente para o Brasil.

Apesar disso, como o número de fornecedores na maioria desses sites é gigante, é necessário ter alguns cuidados no momento de escolher seus parceiros de negócio.

Importando no Wish e no Aliexpress

É possível comprar em quantidade de sites como o Wish e o Aliexpress. No entanto, para não correr riscos com os fornecedores, o ideal é sempre analisar a reputação do anunciante antes de fechar negócio.



Olhar os comentários e visualizar as fotos do produto postadas por clientes que já fizeram a compra, também ajuda muito a não ser enganado em compras como essa.

Por último, nunca faça o seu primeiro pedido de um fornecedor em grandes quantidades. O ideal é comprar um exemplar de cada produto que você pretende vender para poder avaliar questões de entregas, receptividade do vendedor e qualidade da mercadoria.

Só após tudo isso aprovado é que você deve fechar uma parceria para a compra de mais produtos.

Importando no Alibaba e no DealeXtreme

Já as formas de importação no Alibaba e no DealeXtreme são um pouco diferentes da dos dois sites anteriores.

Uma das vantagens do Alibaba e do DealeXtreme é que ambas plataformas são focadas em vendas diretamente para empresa, e não para o consumidor final como as duas anteriores.

A melhor parte disso é que, ao comprar com CNPJ o empreendedor consegue descontos ainda maiores  por já estar comprando com o intuito de revenda.

Apesar disso é importante saber que os cuidados para comprar no Alibaba devem ser parecidos com os citados no tópico anterior. Isso porque a plataforma também conta com um grande número de fornecedores o que pode ser um risco para o comprados.

Já no caso do DealeXtreme a compra é bem mais tranquila. Isso porque a empresa trabalha apenas com marca própria. Além disso, a fornecedora já possui algumas propostas vantajosas para o revendedor brasileiro que podem incluir a isenção total de frete, por exemplo.

Formas de importar produtos da China

A forma como o revendedor irá importar da China pode variar dependendo do tipo de negócio que ele pretende abrir.

Por exemplo, uma pessoa que pretende importar da China para revender em e-commerce pode optar por uma forma diferente da que irá vender os produtos de forma física.



Basicamente, entre as formas mais usadas de importação estão o drop shipping, importação direta e a importação por pessoa física.

Drop Shipping

O drop shipping é a forma como muitos e-commerces tem realizado suas importações da China.

Basicamente, nesse modelo o vendedor fecha uma parceria com o fornecedor chinês e cria o seu e-commerce para vender sem estoque. Dessa forma, sempre que o cliente efetua uma compra no site, o sistema repassa automaticamente o pedido ao fornecedor chinês que envia a mercadoria diretamente para o comprador.

Apesar de parecer um negócio genial (e pode ser mesmo) é necessário ter muita confiança no fornecedor chinês para evitar problemas. Isso porque ao fazer isso, você não tem controle sobre o estado do produto que está sendo enviado ao cliente, nem sobre possíveis atrasos na entrega.

Sendo assim, ao adotar esse negócio tenha certeza de que o seu parceiro não irá te deixar na mão.

Importação direta

A importação direta é uma das formas mais utilizadas por empresas que precisam ter o estoque de produtos para poder revender em estabelecimentos físicos.

Esse tipo de importação é realizado a partir da obtenção de um documento chamado Radar, que em resumo é uma licença que permite ao negócio trabalhar com a importação de produtos.

A maior vantagem de fazer importações desse tipo é que todo o processo alfandegário para a entrega dos produtos é facilitado. Sem contar que, por serem produtos importados da China, mesmo as taxas a serem pagas pela importação acabam sendo mais baratas.

Importação por pessoa física

Essa pode não ser a forma mais indicada para se comprar produtos para revenda, porém é a forma que muitas pessoas escolhem para tentar ficar isento das taxas alfandegárias.

Nesse modelo o empreendedor compra utilizando o seu CPF em quantidades menores e manda entregar no Brasil como se estivesse fazendo uma compra pessoal.



A vantagem aqui é que em compras de que não ultrapassem 50 dólares o comprador pode ter isenção dos impostos sobre produtos.

Apesar disso, o trabalho para realizar compras dessa forma em grande quantidade é considerável e as chances de ser parado na alfândega e ter seus produtos taxados caso a Receita Federal desconfie da finalidade da compra, também são grandes.

Taxas para importar produtos da China

Nos casos do comprador precisar pagar alguma taxa para a entrada de suas mercadorias no país, o cálculo é feito em dólares.

Para compras até 3 mil dólares o comprador paga até 60% de IPI (Imposto por Importação) sobre o valor total da compra. Para compras acima disso, essa porcentagem pode sofrer variações.

Além do IPI o comprador também pode ter que pagar 4% de ICMS e uma Tarifa de Desembaraço para a autorização da entrada das mercadorias no Brasil.

Todas essas cobranças irão depender do tipo de importação escolhida pelo empreendedor.

Veja também: Fotos Mercado Livre: A importância de boas imagens para VENDER MAIS

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário