Como funciona a revenda de produtos? Informações completas

A revenda de produtos não é um trabalho formal, portanto, quem inicia os trabalhos com uma marca não tem vínculo empregatício com a empresa, mas recebe o direito de poder vender os produtos e divulgar a marca.

Para começar, o interessado deverá se cadastrar numa marca que é a que produz os produtos. Assim que o cadastro for aprovado pela marca, o que deverá ser feito pelo telefone ou e-mail, o revendedor receberá uma senha e login para acessar o site.

No site oficial para revendedores da marca escolhida, o consultor deverá fazer os pedidos dos produtos ou o download do catálogo para mostrar aos seus clientes.

Como funciona a revenda de produtos? Informações completas

Quem é consultor tem o direito de comprar os produtos por um valor mais baixo do que é vendido na loja e de vendê-lo por um preço tabelado (os valores podem ser consultados nos catálogos/revistas). É daí que sai o lucro do revendedor.

Cada marca de revenda possui uma porcentagem de lucro que o revendedor recebe. Na Mary Kay, por exemplo, o lucro do consultor é de 40% sobre o valor do produto. Enquanto isso, na Natura, a média é de 30%.

Vamos para um exemplo para ficar mais claro:

Suponhamos que você é um revendedor oficial da Jequiti, a marca de cosméticos do Silvio Santos. Você comprou pelo site oficial, com o seu cadastro de consultor, um perfume de R$100,00. Como o lucro da Jequiti é de 30% você irá vender o mesmo produto que comprou para o seu cliente por R$130,00. O lucro do vendedor, nesse caso, será de R$30,00.

Juntando todas as vendas feitas no mês, o revendedor terá um montante final que será como um salário. Desse mesmo dinheiro, parte precisará ser destinada a compra de novos produtos e, outra parte, poderá ser gasta como quiser para pagar suas contas e fazer compras, por exemplo.

O revendedor não precisará dar nenhuma satisfação para as marcas da revenda, ou seja, não irá ter ninguém para te cobrar e nem para te penalizar caso você não venda. Entretanto, quem vende bem recebe benefícios, como mais prazo para pagar os pedidos, bônus, prêmios e tem a oportunidade de crescer no plano de carreira da marca.

Eu ganho mais alguma coisa por vender meus produtos?

Eu ganho mais alguma coisa por vender meus produtos?

Sim. Quase todas as marcas de revenda possuem planos de pontuações que funcionam de forma muito semelhante a pontuação dos cartões de crédito: para cada venda que você fizer, irá acumular uma quantidade de pontos proporcionais.

Esses pontos, depois de acumulados, podem ser trocados por prêmios como eletrodomésticos, novos produtos e até dinheiro. Vale lembrar, no entanto, que cada marca de revenda possui um regulamento próprio sobre o sistema de pontuação e algumas não possuem.

Dependo da marca de revenda, também existem bônus em dinheiro, joias e broches para quando a revendedora sobe um nível no plano de carreira. Ou seja, consegue aumentar o seu volume de vendas para um outro patamar, como passar de uma média de R$500,00 de vendas mensais para R$1.000,00, por exemplo.

Então a revenda de produtos dá dinheiro?

Sim, a revenda de produtos dá dinheiro tanto para as marcas quanto para os revendedores. Para se ter uma ideia, os últimos números divulgados pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas indicam que a renda mensal média dos consultores brasileiros varia entre R$2,5 mil e R$5mil por mês. No entanto, dependendo do apelo do produto e também das margens de lucros, os ganhos poderão ser diferenciados.

Enquanto isso, os dados mostram que o setor movimentou R$45,2 bilhões em 2017, em plena crise econômica. Esse dinheiro se divide entre 4,1 milhões de revendedores que encontram nas marcas uma oportunidade de lucrar, afinal, dados mostram que 6% dos brasileiros procuraram alguma forma de ganhar dinheiro extra durante o ano de 2018.

Dentro desses números, quem domina as vendas no Brasil são as mulheres, que representam 75% do total das vendas globais de vendas diretas. Na América Latina a força feminina é ainda mais influente, já que 90% dos revendedores são mulheres.

Entre elas, as vendas são um sonho cor de rosa que só alimentam a satisfação que têm com a revenda ou no desejo de empreender. Ao menos é o que determina a pesquisa realizada pela Rede Mulher Empreendedora, que entrevistou 1300 mulheres por todo o país, e 66% delas se disseram contentes em ter as vendas diretas como um trabalho.

Sabe o que isso quer dizer? Que você não está sozinho. E tem mais… pois as pesquisas mostram que o mercado da revenda de produtos tem grandes intenções de crescimento em 2019.

Uma prova disso é o Relatório da Consultoria Global Direct Selling and Communities in the Internet Age, qual indica que o mercado das vendas diretas terá um acréscimo de 11,5% nas vendas até 2021, em todo mundo. Além disso, a pesquisa também aponta que alguns países prometem destaque, entre eles, o Brasil que já representa 5% do faturamento mundial do setor.

Para resumir a história, o ano de 2019 não poderia ser melhor para começar a trabalhar com a revenda de produtos. Ainda assim, vale destacar que nesse universo os ganhos são proporcionais aos esforços, ou seja, se você seguir nossas dicas sobre como vender você não deixará de ganhar dinheiro com as vendas diretas.

As marcas de revenda possuem um plano de carreira?

Eu ganho mais alguma coisa por vender meus produtos?

Sim, quase todas as marcas de revenda possuem um plano de carreira. Algumas possuem hierarquias mais consistentes (como o da Mary Kay e Avon), outras mais rasas (como o da MixLar e marca menores).

O plano de carreira é uma hierarquia que faz com que que o consultor tenha oportunidades de crescimento na empresa, tal como num emprego formal. As famosas diretoras Mary Kay que exibem seus carros-rosa, por exemplo, possuem um nível de hierarquia mais alto do que as iniciantes.

Esse modelo faz com que o consultor consiga ter mais oportunidades na medida que se empenha no trabalho. É claro que, para conseguir subir de nível na hierarquia, é preciso cumprir certos deveres e responsabilidades, de modo que, quanto maior for a hierarquia do revendedor maior será o volume de vendas que precisará manter por mês.

Eu trabalharei numa equipe de revendedores?

Não necessariamente. Há quem prefira trabalhar sozinho, somente com vendas por catálogos e com sua própria rede de clientes. Afinal, nenhuma marca obriga o consultor a participar de equipes, mas muitas estimulam porque é uma oportunidade e tanto para aprender, tirar dúvidas e ter ideias para vender melhor.

Quem será meu supervisor?

Nem toda marca possui um supervisor. Quem prefere trabalhar sozinho, por exemplo, dificilmente contará com a ajuda de outro revendedor da marca. Entretanto, algumas marcas como a Avon e Mary Kay fazem questão de que um consultor ajude outro no início do processo – esse é que será o seu supervisor.

O supervisor é o encarregado de te tirar suas dúvidas, te ajudar a fazer os pedidos ou te dar dicas sobre como você pode vender melhor.

Se a marca funcionar por um esquema de hierarquia de marketing multinível é bem provável que o seu supervisor ganhe alguma porcentagem pelas vendas que você fizer, por isso ele também pode ter interesse que você aprenda corretamente.

Preciso de cartão de crédito para começar?

Preciso de cartão de crédito para começar?

Não. Nenhuma marca de revenda cobra cartão de crédito para começar- embora essa opção seja um verdadeiro quebra galho para quem trabalha com vendas diretas.

Quais são as formas de pagamento dos pedidos?

As formas de pagamento mais tradicionais são: boleto bancário, transferência bancária e cartão de crédito. Cada marca possui um prazo diferente de vencimento do boleto, algumas como a Jequiti e Natura, por exemplo, contam com boletos que podem ser pagos até 21 dias depois da compra dos produtos.

Preciso investir alguma coisa para começar?

Depende da marca de revenda. Há algumas marcas em que o kit inicial é obrigatório, ou seja, depois do cadastro será preciso fazer a compra do kit dentro de três meses para evitar que o cadastro seja cancelado.

O kit inicial é um compilado de amostras grátis, principais produtos da marca, revistas, bolsas e estojos que ajudarão o revendedor a fazer as suas primeiras vendas.

Esse primeiro pacote é cobrado, e é muito indicado que seja comprado, porque funciona como um estoque inicial, garantindo ao revendedor a possibilidade demonstrar produtos e já ter até alguns artigos à pronta entrega para não perder eventuais vendas. Os valores dos kits e produtos inclusos no pedido variam de acordo com cada marca.

Quando recebo o catálogo/revista?

Quando recebo o catálogo/revista?

Engana-se quem acha que logo depois de fazer o cadastro a marca já enviará a revista para a sua casa. Para recebê-la é preciso fazer uma encomenda com a empresa e, assim, toda vez que fizer um pedido, lhe serão enviados catálogos referente ao ciclo de revenda.

Os ciclos das marcas de revenda são um período de tempo com duração de três ou quatro semanas (quase um mês) em que o ano é dividido. Sendo assim, geralmente quando muda o mês também se muda o ciclo. Além disso, há marcas que trabalham por trimestres, mudando de ciclo a cada três meses.

Há ainda marcas que preferem seguir ciclos baseados nas principais datas dos comércios. A exemplo deste modelo, é a Natura, que lança revistas especiais para o dia dos namorados e de fim de ano.

Toda vez que há uma mudança de ciclo a empresa renova a campanha e, às vezes, os produtos e promoções. Por isso, é preciso ter as revistas sempre atualizadas e fazer pedidos recorrentes. Lembrando que os catálogos também podem ser visualizados na versão digital, que geralmente está disponível no site oficial da marca.

Muitos revendedores são extremamente apegados às revistinhas. De fato, vender por meio dos catálogos é mais fácil, pois o próprio cliente com o folheto em mãos já tem informações básicas sobre cada produto. Entretanto há uma infinidade de formas de vender, muitas vezes, sem nem precisar entregar uma revista na mão de alguém.

Requisitos para ser um revendedor

  • Ter mais de 18 anos;
  • Possui CPF próprio;
  • Ter um comprovante de residência;
  • Possuir um endereço de e-mail;
  • Possuir nome limpo (exceto na Avon).

Então quer dizer que se eu tiver o nome no SPC ou Serasa não poderei revender? Não exatamente. Na verdade, no universo da revenda de produtos é muito comum quem empreste o nome de alguém de confiança (mãe, avó, marido, namorado, etc) para fazer o cadastro.

Tal opção é válida para quem quer somente ganhar um dinheiro extra, entretanto, aqueles que têm planos de crescer na empresa devem pensar duas vezes em fazer isso, afinal, já imaginou receber um prêmio ou bônus no nome da sua tia ou marido?

Atenção! Os requisitos para ter o seu cadastro aprovado podem variar de acordo com as políticas de cada marca de revenda.

5 comentários

  • Eu quero revender boticário

  • Bom dia!!! Comprei alguns produtos e gostei!!!
    Gostaria muito de fazer parte das revendas

    • Oi Lucimar, de qual marca está falando?

  • eu quero vender mary kay

Deixe seu comentário