Franquia Outback – Lucros, investimentos e como abrir

Muitos empreendedores buscando por opções de franquias encontram o Outback, e então surge a curiosidade de como abrir uma franquia Outback.

O sistema de seleção de novos parceiros do Outback é bastante concorrido e bastante difícil de ser aprovado também. Isso se dá porque, por mais que pareça, o Outback não utiliza o sistema de franquias.

A empresa tem um sistema próprio e único para conseguir novos parceiros e expandir sua marca. É disso que iremos tratar nesse texto, então leia até o final.

franquia outback

Tipo de negócio da “franquia” Outback

Ao contrário de outras marcas de alimentação, o Outback trabalha com o modelo de Join Venture e não o de franquia.

No modelo Join Venture, ao invés do interessado pagar taxa de franquia, royalties e outras taxas comuns do franchising, ele investe capital para se tornar uma espécie de sócio da marca.

Dessa forma, a marca é sim dona de todos os restaurantes abertos tanto no Brasil quanto no exterior, diferente do modelo de franquia, onde cada franqueado tem sua loja própria e a administra.

Pelo fato desse modelo ser extremamente mais complexo, são poucas as pessoas que conseguem se tornar gestoras de um Outback. O processo de seleção de novos parceiros não é constante e é bastante exigente.

Exigências para se tornar um parceiro Outback

Para estar apto a se tornar um sócio da marca Outback, o interessado, obrigatoriamente, precisa ter larga experiência em gestão de negócios.

Além disso, é necessário deixar claro durante o processo o interesse do indivíduo em trabalhar com a empresa.

Segundo a empresa, os candidatos a sócios-gestores precisam passar por 10 etapas de avaliação até serem aprovados ou não. A empresa tem preferência por pessoas com experiência em gerenciamento no ramo alimentício.

Para ser candidato a se tornar um parceiro do Outback, o interessado deve preencher um formulário de interesse no site da empresa. Caso haja interesse, a marca entrará em contato.

Investimento em uma “franquia” Outback

Como dissemos, o investimento no Outback não é como em uma franquia onde o franqueado precisa pagar uma taxa de franquia, além de royalties mensais e outras taxas. Para se tornar um sócio do Outback, o interessado faz apenas um investimento no valor de R$60 mil.

Sim, não é um valor muito alto e o investidor recebe o restaurante pronto para administrar.

Um restaurante da marca pode custar até R$5 milhões para ser construído, dessa forma, é quase como se o investidor “ganhasse” o restaurante de presente.

Agora é o momento de pensar “tá, onde está a pegadinha?”. Bom, não há exatamente uma pegadinha mas a empresa não está sendo boazinha. Ela se permite isso porque o contrato com o gestor dura apenas 5 anos, após isso ocorre uma avaliação para saber se o mesmo será estendido.

Além disso, a maior parte dos lucros do restaurante ficam com a marca, sendo que o gestor recebe por volta de 8% de comissão.

Lucros de um sócio do Outback

Sendo um sócio da marca e gerenciando um dos estabelecimentos, é como se o parceiro fosse um tipo de prestador de serviço da empresa. Dessa forma, além da comissão de 8% o gestor também tem direito a uma remuneração mensal.

Segundo relatos da empresa e de sócios, o valor do “salário” recebido pelos gestores giram em torno de R$10 mil. Sendo assim, ainda que a maior parte da lucratividade do estabelecimento fique para a empresa, o gestor pode contar com um bom aporte financeiro.

Vale a pena abrir uma franquia Outback

Apesar de não ser uma franquia e sim uma Join Venture, fazendo cálculos básicos, fica claro que não é exatamente um negócio ruim se tornar um sócio-gestor do Outback.

Claro que tudo depende da realidade de cada um, mas levando-se em conta que outras franquias alimentícias, como o Burguer King ou o Mc Donalds, podem chegar a custar até 20 vezes mais do que a sociedade com a marca, podemos dizer que sim, vale a pena abrir um Outback.

O mais importante a ter em mente é que, essa é uma empresa com grande preocupação em que seus restaurantes deem certo. Por isso que em todo o Brasil, existem por volta de 30 estabelecimentos apenas.

Sendo assim, um sócio-gestor do Outback pode ter certeza de que a marca estará disposta a oferecer todo o suporte e auxílio para que a parceria dê certo. Dessa forma, o negócio se torna mais lucrativo para ambas as partes.

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário