Artemisia seleciona micronegócios para programa de aceleração digital

A Artemisia (organização sem fins lucrativos de Negócios de Impacto Social) em parceria com a Accenture, está lançando o programa JA_É: Jornada de Apoio a Empreendedores(as), que tem o objetivo de auxiliar os micro e pequenos negócios a se adaptarem rapidamente aos canais digitais.

O projeto irá selecionar um total de 400 participantes para uma jornada de 6 semanas que acontecerá inteiramente pelo WhatsApp. Durante esse período, os selecionados terão acesso a aulas exclusivas com grandes nomes do mercado empreendedor, e também a conteúdos que preveem o auxílio nos processos de gestão e vendas nos canais digitais.

Segundo a Artemisia, o JA_É foi elaborado para ser prático e trazer resultados rápidos aos empreendedores, por isso a escolha pelo WhatsApp como canal de interação e aulas. Entre os conteúdos destacados a serem abordados durante o curso estão Canais de Vendas Online, Gestão Financeira e Rentabilidade.

programa artemisia

Ao final do programa, além do certificado de conclusão para todos os participantes, os 20 empreendedores que mais se destacarem irão receber um auxílio financeiro. O recurso no valor de R$1.500 será destinado para investimento em melhorias no negócio baseado no conhecimento adquirido durante o programa.

O projeto da Artemisia é bastante similar ao que foi anunciado pelo O Boticário nessa semana, inclusive na oferta de auxílio financeiro. Vale a pena dar uma olhada nessa outra opção também.

Como participar do Programa

As inscrições para participação no programa acontecem de 15 de setembro a 6 de outubro e estão sendo realizadas pelo site do JA_É.

Podem participar micro e pequenos negócios de produtos e serviços que estejam ativos. Porém, não é exigido a formalização desses empreendimentos, dessa forma, empreendedores informais também podem participar do programa. Também é importante que esses negócios já estejam vendendo ou queiram iniciar vendas por meios digitais.

O aviso de aprovação no programa acontecerá por e-mail até o dia 23 de outubro. As aulas ocorreram de 26 de outubro a 4 de dezembro.

Veja também:

Projeto foi pensado para reprimir efeitos da pandemia

A iniciativa da Artemisia surgiu por conta da pandemia de Covid-19 após a organização perceber a necessidade que os empreendimentos teriam de migrar suas negociações para o digital.

A dificuldade aparente de muitos micro e pequenos negócios, em especial os que atuam em comunidades em situação de baixa mobilidade social, impulsionou a criação do projeto.

O momento atual acelerou a necessidade de (os empreendedores) repensarem processos internos e canais de vendas para que pudessem seguir com as atividades e manter suas empresas ativas. Porém, muitos precisam de apoio para se adequarem ao novo contexto” afirmou a diretora-executiva da Artemisia, Maure Pessanha.

Além da Accenture, o programa também conta com o apoio d e outras organizações. Entre elas estão a PretaHub, ANIP, Fundação Arymax e Migraflix todos engajados em fazer com que a iniciativa seja um sucesso.

Para a Fundação Arymax, programas como a Jornada de Apoio a Empreendedores (as) que promovem a inclusão dos micro e pequenos empreendedores nos canais digitais, ajudam a fortalecer os negócios e a preservar os empregos por eles gerados.

O pensamento da Fundação dialoga perfeitamente com a visão da Artemisia. A organização acredita na redução da exclusão social por meio do fortalecimento dos micro e pequenos negócios.

Para ela, aumentar a produtividade dessas empresas movimenta a economia local e gera mais emprego e renda para as comunidades. Isso acaba sendo benéfico para todo o mercado, em especial nesse momento de economia em crise em todos os setores.

Artemisia e o impacto social positivo no Brasil

A Artemisia foi fundada em 2005 como uma apoiadora de negócios desenvolvidos em comunidades em situação de vulnerabilidade.

A principal ideia da organização é potencializar ainda mais esses negócios para que o impacto por eles gerado seja socialmente positivo para empreendedor e comunidade.

Para isso, frequentemente são postas em prática iniciativas de auxílio e incentivo. Os empreendedores são instruídos a manterem a competitividade econômica de seus negócios de uma forma socialmente ética.

Veja também

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.

Deixe seu comentário